Diminui o número de policiais no Brasil nos últimos dez anos

Publicado em 27/02/2024 - 21:21 Por Oussama El Ghaouri - repórter da Rádio Nacional - Brasília

O contingente das forças policiais estuduais encolheu entre 2013 e 2023. O número está em um novo estudo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira (27).

O documento faz um raio-x das forças de segurança pública no Brasil. O país possuía, em 2023, um efetivo de quase 800 mil profissionais da segurança pública em 1.595 órgãos federais, estaduais, distritais e municipais.

A maior força é da Polícia Militar, com mais de 400 mil homens e mulheres. Na sequência, vem a Polícia Civil, com cerca de 96 mil.

Apesar dos números, o documento revela que entre 2013 e 2023, as forças policiais estaduais encolheram: 6,8% no caso das PMs e 2% no caso das polícias civis.

De acordo com o coordenador de projetos do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, David Marques, essa redução é preocupante.

"É uma redução preocupante. Tendo em vista que nesse período de 10 anos não só a população brasileira cresceu significativamente como também diversificaram-se as dinâmicas criminais com as quais as polícias têm que lidar", explicou o coordenador. 

De acordo com o estudo, essa redução nos efetivos teria pressionado os prefeitos a criarem guardas municipais. Elas cresceram 35,7% de 2014 a 2023. E o efetivo em 2023 chegou a 95 mil.

Outro dado mostra que, em 2023, não estavam efetivamente ocupadas quase 30% das vagas para policiais militares e 47% das vagas para policiais civis em todo o país. Ou seja, há uma falta  desses profissionais em todo o Brasil: quase 56 mil civis e 180 mil militares.

Além disso, as polícias militares ainda enfrentam um problema estrutura, como explicou o coordenador do fórum, David Marques.

"Quando a gente olha para a pirâmide dos postos da Polícia Militar, em diversos estados, a gente encontra hoje mais sargentos do que cabos e soldados que são posições hierarquicamente inferior a do sargento. Ou seja, nós temos mais pessoas em determinadas posições de comando do que sendo comandadas. O que é bastante questionável do ponto de vista de gestão e de necessidades do trabalho", analisa Marques. 

O documento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública também mostra que o Brasil tem, em média, dois policiais militares para cada 1000 habitantes.

O estudo revela ainda que em 17 das 27 unidades federativas o número de PMs é superior a essa média.

Nos Estados Unidos, por exemplo, a proporção média vai de 1,8 a 2,6 por 1000 pessoas.

De acordo com o relatório, o Amapá tem a maior relação média: 4,2 por 1000. E Santa Catarina, a menor: 1,3 PMs por 1.000 pessoas.

Mas, o estudo destaca que o Amapá, mesmo com a maior proporção de policiais, é o mais violento do país, com 50,6 mortes violentas intencionais por 100 mil habitantes.

Enquanto Santa Catarina tem a segunda menor taxa de mortes violentas, 9,1 por 100 mil, mesmo tendo a menor proporção de PMs.

Já o salário médio dos policiais, em geral, é 50,9% maior em relação aos demais servidores públicos dos estados e do Distrito Federal, passando de 9 mil reais.

Só que na França, por exemplo, o rendimento dos policiais é 78% maior; e nos Estados Unidos, quase 40% maior.

Nesse quesito, o Brasil ainda fica atrás da Alemanha, do Canadá, da Inglaterra, de Portugal e do Chile. 

Em nota, o secretário de Segurança Pública de Santa Catarina, sargento Lima, disse que o resultado como a segunda menor taxa de mortes violentas no Brasil, mesmo tendo a menor relação de PMs por habitantes do país, deve-se ao emprego da tecnologia na segurança, aos concursos feitos conforme a necessidade do estado, aos investimentos em infraestrutura - como saneamento básico - e em educação. Segundo o secretário, isso já diminui de forma significativa a violência. 

Nós buscamos um posicionamento do Estado do Amapá, mas até o fechamento desta reportagem, nós não recebemos retorno. 

Edição: Roberta Lopes / Liliane Farias

Últimas notícias
Geral

Após apagão em Manaus, ONS e e Amazonas Energia investigam causas

O Ministério das Minas e Energia criou uma sala de situação em conjunto com o Operador Nacional de Energia (ONS) e a Amazonas Energia para entender porque houve desligamento dos Circuitos 1 e 2 da linha de transmissão Lechuga-Manaus.

Baixar arquivo
Geral

Domínio de grupos armados no RJ dobra em 16 anos

As informações são do Mapa dos Grupos Armados, lançado nesta segunda-feira. O Mapa é uma parceria entre o Instituto Fogo Cruzado e o Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos, da Universidade Federal Fluminense.

Baixar arquivo
Geral

MP de São Paulo denuncia esquema envolvendo empresas de ônibus

A Operação Fim da Linha investiga suposto esquema de lavagem de dinheiro, por meio de empresas de ônibus que circulam na capital paulista.  

Baixar arquivo
Economia

Ipea: inflação cai e alívio é maior para famílias de alta renda

A inflação desacelerou para todas as faixas de renda no mês de março.

É o que aponta o Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda divulgado nesta segunda-feira pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Baixar arquivo
Justiça

Enel vai recorrer da decisão da justiça sobre atendimento a clientes

Justiça de São Paulo determinou que Enel cumpra o prazo de um minuto para atender cliente por telefone/whatsapp e o prazo máximo de 30 minutos para atendimento presencial na empresa. 

Baixar arquivo
Segurança

Polícia Federal investiga barco com corpos no litoral do Pará

A perícia no barco com corpos à deriva, encontrado no litoral do Pará, deve começar nesta segunda-feira, pela Polícia Federal.

Baixar arquivo