Pesquisadores conseguem combater sintomas do Alzheimer com canabinoide

Testes em ratos apresentaram bons resultados

Publicado em 02/11/2019 - 08:05 Por Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil - São Paulo

Um grupo de pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP) conseguiu combater os sintomas do Alzheimer usando um composto canabinoide. Os testes apresentaram bons resultados em ratos em que houve a simulação dos estágios iniciais da doença. Os resultados forma publicados na revista científica Neurotoxicity Research.

Para os experimentos foi usado o composto sintético ACEA (Araquidonil-2'-cloroetilamida) em animais em que receberam no cérebro a droga estreptozotocina (STZ), que provoca uma deficiência no metabolismo dos neurônios. Em seguida, foram aplicados teste da memória nos ratos, com o reconhecimento de objetos.

São colocados objetos novos no ambiente onde estavam os animais. Os ratos que não estavam sob o efeito da droga exploraram mais os locais com as novidades, enquanto aqueles com Alzheimer mantiveram o mesmo interesse por todo o ambiente. Os testes foram repetidos com o intervalo de uma hora e de um dia, para avaliar memória de curto e longo prazo.

Resultados

A partir daí, os ratos passaram a ser tratados com o ACEA, uma forma sintética de um dos compostos extraídos da maconha. Ele se liga ao receptor CB1, presente especialmente no hipocampo, parte do cérebro relacionada à memória e que é afetada pelo Alzheimer.

Segundo a coordenadora do estudo, professora Andréa Torrão, os resultados da administração do canabinoide foram “bem positivos”. De acordo com a pesquisadora, foi verificada uma “reversão do déficit cognitivo”. Segundo ela, isso significa que o composto foi capaz de impedir a progressão da doença que foi simulada em uma fase inicial.

Andréa disse que o ACEA tem sido usado por diversos grupos de pesquisa no mundo, porém, ainda existem aspectos não investigados, que a equipe do Instituto de Ciências Biomédicas tentou avaliar. “Ele foi bem descrito bem mais recentemente. Mas tinha muitas outras perguntas, lacunas, que a gente queria entender”, enfatizou.

Apesar dos bons resultados, as pesquisas com o canabinoide no instituto foram paralisadas. “Os complexos canabinoides estão muito caros para a gente importar com os cortes de verbas que tem sido feito nos últimos anos”, ressaltou a pesquisadora. Por isso, o grupo tem usado outras substâncias que agem em outros aspectos do Alzheimer.

Edição: Juliana Andrade

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Aplicativo Caixa Tem
Economia

Caixa credita hoje auxílio emergencial para nascidos em junho

O auxílio, com parcelas de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), foi criado para reduzir os efeitos da crise econômica causada pela pandemia da covid-19.

Geral

No Rio, deslizamento no morro da Mangueira atinge 12 casas

Defesa Civil isolou a área atingida e equipes aguardam a retirada do material que deslizou para avaliar o estado das casas. Vinte agentes da Defesa Civil e da Guarda Municipal estão a postos.

bola liga dos campeões
Esportes

Liga dos Campeões da Europa retorna com jeito de Copa do Mundo

Torneio terá jogos sem torcida e reta final será disputada em Lisboa, em jogo único, nos estádios José Alvalade (Sporting) e da Luz (Benfica).

Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom
Internacional

OMS: recuperação econômica global pode ser mais rápida com vacina

"O nacionalismo com vacinas não é bom, não vai nos ajudar", afirmou o diretor-geral da organização, ao comentar a disputa competitiva entre diversas nações e seus laboratórios.

Com o acordo, pesquisadores de 15 intitutos Senai de Inovação operacionais podem acessar as inovações produzidas pelos institutos Fraunhofer, principalmente em tecnologias, que não estão disponíveis no Brasil
Educação

Cursos de qualificação profissional têm alta demanda na pandemia

Cursos oferecidos têm duração média de 14 horas. Para ter acesso, basta acessar a plataforma Mundo Senai, preencher um cadastro simples e fazer a inscrição.

Smoke rises from the site of an explosion in Beirut
Internacional

Embaixada do Líbano pede ajuda humanitária após explosão em Beirute

Comunicado diz que o país precisa de assistência médica em todos os seus ramos e de suprimentos cirúrgicos e hospitalares. Também são pedidos materiais de construção.