Consulado diz que China avança no combate ao coronavírus

O país também aprimora os exames para detecção do vírus

Publicado em 03/02/2020 - 16:53 Por Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

A China está em "fase final" na produção de vacina contra o novo coronavírus, de acordo com o Cônsul-Geral da China no Rio de Janeiro, Li Yang. Segundo ele, no entanto, ainda não há uma previsão para que ela seja de fato concluída e utilizada. O país também aprimora os exames para detecção do vírus.

“Estamos engajando um grupo de especialistas de nível mais alto para fazer o estudo e o desenvolvimento da vacina. Mas todos sabemos que vacina é coisa muito séria. Não podemos, só para reduzir o tempo, produzirmos uma coisa sem eficácia. Mas tenho forte confiança que a vacina vai nascer”, diz Li Yang em coletiva de imprensa.

Segundo ele, houve progressos. “Já foi alcançado progresso positivo na pesquisa e desenvolvimento da vacina contra esse vírus. Podemos dizer que já chegamos à fase final”.

coronavírus nas Filipinas
Pessoas compram máscara de proteção em Manila, capital das Filipinas - Reuters/Eloisa Lopez/Direitos Reservados

O país também avançou na detecção do novo coronavírus. De acordo com Li Yang, os cientistas chineses desenvolveram um rápido método para detectar esse vírus. Os resultados dos exames são divulgados de 8 a 15 minutos. Ao todo, são feitos, 100 mil testes por dia no recém construído centro de detecção do vírus.

“Os casos confirmados estão crescendo rapidamente. A razão que os casos confirmados crescem rapidamente é que a capacidade de testar as amostras está aumentando”, disse.

De acordo com o último balanço divulgado pela China, há 17.205 casos de coronavírus confirmados e 361 mortes pelo vírus. Outras 475 pessoas foram curadas e receberam alta hospitalar. Ao todo, 146 casos foram detectados fora da China e uma morte ocorreu fora do território chinês.

Retorno de brasileiros

Segundo Li Yang, a China ainda não foi comunicada oficialmente da decisão de retirar os brasileiros de Wuhan, região mais afetada pelo vírus. Ontem, o governo brasileiro anunciou que irá repatriar os brasileiros.

Li Yang fez um apelo dizendo que se o Brasil e demais países decidirem pela repatriação de seus cidadãos, há uma risco de que o vírus se espalhe. “Se o Brasil tomar a decisão de tirar os cidadãos de Wuhan, o governo chinês vai mostrar respeito completo e dar apoio completo. Mas, peço que o governo e o povo brasileiro considerem uma coisa: retirar os habitantes de Wuhan, é um benefício para a saúde do povo brasileiro?”

De acordo com os dados divulgados pelo cônsul-geral, atualmente, pessoas de mais de 100 países estão na China. Foram confirmados, entre os estrangeiros, 16 casos de coronavírus. Não houve morte de estrangeiro pelo vírus.

“A parte chinesa é responsável pelo risco e despesa de curar os pacientes estrangeiros. Tudo isto comprova que a China obteve resultados positivos na proteção dos estrangeiros”, diz.

De acordo com o governo brasileiro, para evitar que o vírus se propague no Brasil, assim que chegarem em território nacional, os brasileiros que vierem da região deverão ser submetidos a um período de quarentena, de acordo com procedimentos internacionais, sob a orientação do Ministério da Saúde.

Fake news

Li Yang também disse que diversas notícias falsas têm sido divulgada, como o vírus ser uma estratégia para uma guerra biológica ou mesmo uma ação do governo chinês para frear manifestações internas. “Existem muitos rumores, espero que os jornalistas saibam  identificar e nos ajudem a esclarecer os rumores”. 

Edição: Maria Claudia

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias