Brasil registra 506 mortes por covid-19 em 24 horas

Mais 18.578 casos da doença foram confirmados no período

Publicado em 01/10/2021 - 20:35 Por Heloisa Cristaldo - Repórter da Agência Brasil - Brasília

O Brasil registrou mais 18.578 casos de covid-19 e 506 mortes causadas pela doença nas últimas 24 horas, segundo o boletim da situação epidemiológica divulgado nesta sexta-feira (1º) pelo Ministério da Saúde. Com isso, chega a 597.255 o número de pessoas que perderam a vida para a doença.

Boletim epidemiológico 01.10.2021
Boletim epidemiológico 01.10.2021, por Ministério da Saúde

Com os novos diagnósticos de covid-19 confirmados, o total de pessoas contaminadas desde o início da pandemia chegou a 21.445.651.

Ainda há 415.753 casos em acompanhamento. O nome é dado a casos ativos de pessoas que tiveram o diagnóstico confirmado e estão sendo atendidas por equipes de saúde ou se recuperando em casa.

Há 3.185 falecimentos por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em investigação. Isso porque, em muitos casos, a análise sobre a causa da morte continua mesmo após o óbito. Segundo o boletim, 20.432.643 pessoas se recuperaram da doença.

Estados

No topo do ranking de mortes por estado, estão São Paulo (149.953), Rio de Janeiro (65.261), Minas Gerais (54.613), Paraná (39.109) e Rio Grande do Sul (34.881).

Os estados que menos registraram mortes por covid-19 foram o Acre (1.838), o Amapá (1.984), Roraima (2.001), o Tocantins (3.791) e Sergipe (6.010).  

Vacinação

Dados atualizados do Ministério da Saúde apontam que 237,4 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 foram aplicadas em todo o Brasil, sendo 146,5 milhões como primeira dose e 90,8 milhões como segunda dose (ou dose única).

Em 24 horas, foram aplicadas 2,2 milhões de doses. Segundo a pasta, foram distribuídas 294,7 milhões de doses da vacina contra a covid-19 para todo o país.

Edição: Nádia Franco

Últimas notícias
Palácio do Supremo Tribunal Federal na Praça dos Três poderes em Brasília
Justiça

Ministra do STF libera execução das emendas do relator

A decisão foi tomada após o Congresso aprovar, na semana passada, resolução para cumprir parte da decisão de dar publicidade ao processo de destinação dos recursos.