Últimas notícias Ministro do Planejamento

Economia

Colnago diz que redução de isenção tributária é caminho necessário

O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, disse hoje (11) que a redução de isenção tributária é um caminho necessário.

O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, durante o lançamento do novo Portal da Transparência do governo federal.
Economia

Previdência e Bolsa Família dependerão de regra de ouro em 2019

O próximo presidente da República estreará no governo com um desafio: terá de conseguir, nos seis primeiros meses, a aprovação pelo Congresso Nacional de um crédito extraordinário de R$ 258,176 bilhões.

Economia

Venda de ações da Eletrobras deve sair até dezembro, diz Dyogo Oliveira em NY

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, disse hoje (8) que a oferta pública de capital da Eletrobrás deve acontecer até dezembro. A afirmação foi feita durante o evento Oportunidades de Investimento no Brasil, em Nova York.

Brasília - O Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira,fala sobre a Reunião da Camex.​(Antonio Cruz/Agência Brasil)
Economia

Ministro do Planejamento prevê um 2018 muito melhor para a economia

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, prevê o ano de 2018 muito melhor para a economia brasileira do que 2017 e 2016. Segundo ele, este ano será o primeiro de uma sequência de oito a 12 anos de crescimento. "Em 2017, a gente começou a sair do fundo do poço, e 2018 é o ano da retomada do crescimento, o que já está em grande medida contratado. Mas o nó desse processo é a questão das contas públicas", disse.

Brasília - O Ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira,fala sobre a Reunião da Camex.​(Antonio Cruz/Agência Brasil)
Política

Ministro admite alteração na reforma da Previdência, mas sem perder princípios

O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, admitiu hoje (30) a possibilidade de novas alterações na proposta da reforma da Previdência defendida pelo governo, desde que essas mudanças não modifiquem os pontos principais do projeto. O ministro disse que essas novas mudanças teriam caráter pragmático, para possibilitar a aprovação no Congresso. "O processo, daqui para frente, é muito pragmático, de conseguir votos. Pode haver alterações adicionais que viabilizem os votos", disse, acrescentando que "o princípio da reforma em si tem que ser preservado".