Com o fim do racismo e melhor educação, assassinatos no Rio cairiam 30%

Publicado em 20/11/2016 - 14:06 Por Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Se a chance de ser assassinado fosse a mesma para homens brancos e negros, a taxa de homicídio na cidade do Rio de Janeiro seria 12,9% menor do que a atual. É o que mostra o estudo Democracia Racial e Homicídio de Jovens Negros na Cidade Partida, dos pesquisadores do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Daniel Cerqueira e Danilo Coelho, divulgado sexta-feira (18).

Eles fizeram o exercício para verificar como seria a sociedade sem o que eles chamam de “racismo que mata”, ou seja, se a cor da pele não tivesse impacto na letalidade. “A gente fez um exercício contrafactual. O que aconteceria se o racismo acabasse? Se o diferencial entre negros e brancos fosse reduzido a zero, qual seria o impacto na taxa de homicídio no Rio de Janeiro?”, explica Coelho.

A pesquisa calculou, com um modelo econométrico inédito, como cada característica afeta a chance de a pessoa sofrer homicídio. Foram analisados os dados de escolaridade, local de residência, idade e estado civil, além da cor da pele, na amostra de homens entre 14 e 70 anos do censo de 2010, residentes no Rio de Janeiro, e o número de mortos na cidade naquele ano. A conclusão é de que os homens negros têm 23,5% mais chances de serem assassinados do que os brancos, mesmo sem considerar as condições socioeconômicas.

O exercício considerou também, como um segundo passo, o aumento da escolaridade como fator redutor de risco de ser assassinado. Cerqueira explica que, com o ingresso no ensino médio, a taxa de homicídio na cidade poderia cair 19,8%.

“A chance de quem tem até sete anos de escolaridade sofrer homicídio é altíssima, quando o cara entra para o ensino médio, a chance já diminui. Se ele vai para o ensino superior, é um verdadeiro escudo contra os homicídios. A educação é um verdadeiro escudo contra os homicídios. Então, a brincadeira é: vamos imputar àquele cara que tem sete anos ou menos de estudo, a chance de sofrer homicídio de um cara que entrou no ensino médio”.

Pelos cálculos dos pesquisadores, a chance de uma pessoa com até sete anos de estudo ser assassinada é 70,2% maior do que a de alguém que tenha de oito a 11 anos de estudo. Somando a redução dos homicídios que a eliminação do racismo geraria ao fator de elevar os anos de escolaridade, Cerqueira e Coelho chegaram a uma provável redução de 30,2% na taxa de homicídio na cidade.

Edição: Graça Adjuto

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Profissional de saúde com equipamento de proteção individual
Saúde

Estado do Rio chega a 174 mil casos e quase 14 mil mortes por covid-19

São 1.385 casos e 86 óbitos a mais registrados em 24 horas, desde ontem. Desde o início da pandemia, 155.312 pacientes se recuperaram da doença no estado.

Teste da vacina contra a doença de coronavírus (COVID-19) na Tailândia
AO VIVO Saúde

Ao vivo: Bolsonaro assina MP para viabilizar vacina contra covid-19

Vacina contra a covid-19 foi desenvolvida pela Universidade de Oxford (Inglaterra) e está sendo testada no Brasil por meio de uma parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Homem produz máscaras caseiras durante a pandemia do novo coronavírus no distrito de Kreuzberg, Berlin, Alemanha
Saúde

Nova Friburgo vai ganhar Centro de Pesquisa e Inovação em EPIs

Objetivo é garantir qualidade aos produtos feitos no Brasil e dar suporte à indústria para adaptação de linhas de produção, uso de tecnologia e capacitação.

Guilherme Arana revela saudade dos jogos
Esportes

Arana projeta boa estreia do Atlético-MG contra o Fla no Brasileirão

Lateral-esquerdo confia nas qualidades do time para um bom campeonato: juventude e velocidade. O primeiro duelo será no domingo, às 16h, no Maracanã. 

Incêndio no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Divulgação/Parnaso)
Geral

Bombeiros combatem fogo na Serra dos Órgãos pelo terceiro dia seguido

Criado em 1939, o Parnaso é o terceiro parque mais antigo do país e costuma ser procurado para prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada e rapel.

Fachada do edifício sede do Supremo Tribunal Federal - STF
Geral

STF: teto constitucional incide sobre soma de pensão e aposentadoria

Com a decisão, o valor dos ganhos não pode ultrapassar R$ 39,2 mil, valor do salário dos ministros da Corte, que foi definido pela Constituição como teto.