Governo de Minas libera crédito para cidades que perderam receita com mineração

Publicado em 17/01/2017 - 15:24 Por Léo Rodrigues - Correspondente da Agência Brasil - Belo Horizonte

Brasília O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, participou de audiência proposta pelo ministro Edson Fachin, do STF com governadores para discutir as dívidas dos estados (José Cruz/Agência Brasil)

O governador Pimentel frisou que a mineração é importantíssima para Minas GeraisJosé Cruz/Agência Brasil

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, anunciou hoje (17) que vai disponibilizar R$120 milhões em créditos para 46 cidades que tiveram queda na arrecadação de royalties de mineração entre 2015 e 2017. Os recursos serão disponibilizados pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG).

Os municípios terão condições favoráveis para obter as verbas, como prazo de até 72 meses e taxas de juros de 6% ao ano, bem inferiores às praticadas no mercado. O crédito poderá ser usado para obras de mobilidade urbana, saneamento básico, tratamento de resíduos sólidos, projetos de eficiência energética e reforma de prédios públicos, entre outras. Os projetos poderão ser apresentados por meio de plataforma digital e serão liberados mediante aprovação do BDMG.

O governador destacou a importância de garantir a atividade mineradora no estado, fomentando a geração de emprego e renda. Ele também fez referência ao rompimento da barragem da mineradora Samarco no município de Mariana, em novembro de 2015, que provocou destruição no meio ambiente e deixou 19 mortos.

Segundo Pimentel, a tragédia trouxe lições para que a atividade se desenvolva de maneira correta, ambientalmente sustentável e legalmente licenciada. "Devemos ter todas as cautelas, mas a atividade tem que existir. A mineração é uma riqueza importantíssima para Minas Gerais. Se não fosse assim, o nome do nosso estado seria outro”, afirmou.

*Texto alterado às 17h46 para correção do número de cidades no primeiro parágrafo. São 46, e não 177, como havia sido informado anteriormente pelo governo de Minas. 

Edição: Augusto Queiroz

Últimas notícias