Maggi diz que governo pode ajudar setor agrícola devido à greve

Publicado em 29/05/2018 - 15:27 Por Elaine Patricia Cruz e Fernanda Cruz – Repórteres da Agência Brasil * - São Paulo

Em entrevista exclusiva hoje (29) à TV Brasil e à Agência Brasil, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, admitiu que pode ser necessário que o governo crie algum crédito ou mecanismo para ajudar o setor agrícola, que foi muito atingido pela greve dos caminhoneiros. 

“Creio que sim [sobre abrir uma linha de crédito para o setor]. Alguns sofreram muito. Temos áreas que padeceram, perderam muito o plantel. E o plantel é o capital de uma empresa. Talvez tenhamos que buscar uma saída para isso junto aos órgãos oficiais, uma política mais direcionada a eles”, disse o ministro, que participa nesta terça-feira do Fórum de Investimentos Brasil, na capital paulista. “Ninguém vai dar nada de graça para ninguém, mas tudo o que aconteceu não foi por má gestão [dos produtores]”.

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, durante reunião de negociações entre o Mercosul e a União Europeia
O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse que a área mais atingida foi a de produção de proteína animal - José Cruz/Agência Brasil

De acordo com Maggi, para ajudar os produtores, o governo provavelmente terá que deslocar recursos de outras áreas ou projetos. “Se nesse momento vai ser importante deslocar algum recurso para os produtores. Para eles ser organizarem, em detrimento até de um novo projeto de investimento, faremos isso sem nenhum problema. Não creio que teremos que buscar espaço fiscal para isso. É dentro do volume que temos”, disse. Segundo o ministro, isso será feito dentro da política de teto de gastos do governo. “Com o teto de gastos, estamos todos dentro da mesma caixa. Se for colocar alguém, alguém tem que sair”.

Segundo o ministro, que se reúne na tarde de hoje com representantes da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) e da Associação Brasileira de Proteína Animal (Abpa), ainda não foi feito um levantamento do prejuízo provocado no setor pela paralisação dos caminhoneiros, mas a área mais atingida, disse ele, foi a de produção de proteína animal, que inclui a produção de aves e suínos. 

“Na parte de grãos, não há nenhum problema, mas na parte de produção de proteína animal, [há] sérios problemas na atualidade e vamos ter muitos problemas para poder sair da situação que nos encontramos”, disse, ressaltando que, apesar disso, o Brasil ainda é um país seguro para investimento.

Sobre a paralisação dos caminhoneiros, o ministro disse que “isso foi uma coisa fora da curva”, mas que o Brasil precisa agora “superar”. “Traz problemas para o país? Traz, de abastecimento. E provavelmente vai ter inflação e falta de produtos em alguns lugares, mas isso faz parte do processo de um país livre, democrático, onde as pessoas podem se manifestar. Tem que juntar os cacos, aprender a lição de tudo o que aconteceu e seguir em frente”, disse.

* Com programa Cenário Econômico, da TV Brasil

Edição: Fábio Massalli

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Médicos fazem treinamento no hospital de campanha para tratamento de covid-19 do Complexo Esportivo do Ibirapuera.
Internacional

OMS: covid-19 põe em risco anos de progresso em saúde nas Américas

Diretora regional da organização, Carissa Ethienne pediu aos governos que aumentem os gastos em saúde para pelo menos 6% do PIB.Para ela, média atual de 3,7% não é suficiente.

Entrega de 528 novas moradias do programa de habitação de interesse social do Governo Federal, em São Sebastião, Distrito Federal
Economia

Inflação para famílias de renda mais baixa fica em 0,50% em julho

O índice é calculado com base em preços coletados em sete capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife e Salvador.

O Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (LACEN) está realizando exames para identificação do novo coronavírus (COVID-19)
Saúde

Universidade de Brasília e HUB iniciam teste de vacina contra covid-19

Os primeiros que vão participar do estudo-teste são cinco profissionais da saúde que atuam no atendimento de infectados, mas não tiveram ainda a doença, informa a UnB.

Destruição provocada por explosão em Beirute
Internacional

Líbano lida com devastação feita por explosões no porto

O grande número de feridos levou a uma superlotação dos hospitais de Beirute, informou a Cruz Vermelha. O presidente do Líbano anunciou recursos de US$ 66 milhões em fundos de emergência.

Internacional

Vendedores e consumidores enfrentam riscos em mercado de Caracas

No maior mercado de produtos agrícolas da capital venezuelana, as pessoas dão pouca atenção às regras de distanciamento, embora muitos usem máscaras

São Paulo - Comitê Paralímpico Brasileiro anuncia os 25 atletas convocados para a seleção que participará do Mundial de Paratletismo Londres 2017, no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro (Rovena Rosa/Agência Brasil)
Esportes

Bolsa Atleta: divulgada lista de contemplados no programa

Ao todo são 109 atletas contemplados de modalidades que fazem parte dos programas Olímpico e Paralímpico, referente ao pleito 2019.