Bolsa aciona circuit breaker após Ibovespa cair mais de 10%

Papéis são afetados por causa de redução no preço do petróleo

Publicado em 09/03/2020 - 12:07 Por Agência Brasil* - Brasília
Atualizado em 09/03/2020 - 12:24

Os negócios na B3, a bolsa de valores brasileira, foram interrompidos às 10h30 de hoje (9), quando foi acionado o circuit breaker, após o Ibovespa cair 10,02%, aos 88.178,33 pontos. Os negócios foram retomados às 11h08.

O preço das ações está sendo afetado pela redução no preço do petróleo internacional, em meio a uma disputa entre Arábia Saudita e Rússia.

O circuit breaker é acionado em momentos de forte queda de preço dos papéis negociados na bolsa. O acionamento é feito em três estágios: quando o Ibovespa desvaloriza 10% em relação ao valor de fechamento do Ibovespa do dia anterior, a negociação é interrompida por 30 minutos; após reabertas as negociações, caso a variação do Ibovespa atinja oscilação negativa de 15% em relação ao valor de fechamento do dia anterior, a negociação é novamente interrompida por uma hora; e com as negociações reabertas, se o Ibovespa cair 20% em relação ao índice de fechamento do dia anterior, a B3 pode determinar a suspensão da negociação por um período a ser definido.

Petróleo e queda nas ações da Petrobrás

O preço das ações está sendo afetado, principalmente, pela queda no preço do petróleo internacional, em meio a uma disputa entre Arábia Saudita e Rússia. Os preços do petróleo chegaram a cair mais de 30% nesta segunda-feira, o maior recuo diário desde a Guerra do Golfo, em 1991, após a Arábia Saudita ter sinalizado que elevará a produção para ganhar participação no mercado. Os sauditas cortaram seus preços oficiais de venda.

As ações da Petrobras centralizavam as atenções, tendo já registrado forte recuo na sexta-feira, após a Rússia se recusar a aderir a cortes adicionais de oferta, propostos pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para estabilizar os mercados da commodity.

Os papéis da Petrobrás estavam em leilão de abertura, apontando quedas de mais de 20% cada. Após a abertura os papéis continuavam movimento e desabavam mais de 23%.

Governo federal

Em Brasília, o presidente em exercício, Hamilton Mourão, comentou a queda nos preços das ações da estatal e disse que o governo vai esperar o mercado se acalmar antes de tomar qualquer medida. “Com a questão do petróleo aí, as nossas principais ações que são da Petrobras devem estar tendo uma flutuação bem grande. Vamos aguardar. As bolsas do mundo todo caíram, todas tiverem uma queda significativa. Vamos aguardar esclarecer a situação para depois o governo ver que medida pode ser tomada.”

Já o Ministério de Minas e Energia disse, por meio de nota, que está acompanhando, com atenção, o preço do petróleo. O ministério informou que o Brasil já superou outros choques relacionados aos preços do produto, superando a situação sem "sobressaltos na economia" e que o governo vem se preparando para ter instrumentos adequados "que permitam uma menor variação nos preços de combustíveis sem interferência na liberdade de mercado, respeitando a livre negociação entre os agentes econômicos"

A nota diz ainda que o governo vem estudando mecanismos para evitar um excessivo sobe-e-desce nos preços do petróleo que possam vir a prejudicar a economia, mantendo a responsabilidade fiscal.

De acordo com o ministério, os Investimentos na cadeia de petróleo são altoes e de longo prazo. Variações de curto prazo, não justificariam assim, novas medidas do governo. "Apenas se o preço, de fato, estabelecer-se em novo patamar é que os investimentos poderão ser reavaliados. Portanto, o momento é de monitoramento", diz a nota.

*Com informações da Reuters

Matéria ampliada às 12h24

Edição: Fernando Fraga

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
sala de aula
Educação

UFRJ transfere para o dia 24 o início do período letivo remoto

Período letivo da UFRJ está suspenso desde 16 de março por causa da pandemia. Com o adiamento do início do período letivo, o término passou de 31 de outubro para 14 de novembro.

Cúpula da bomba atômica durante cerimônia para marcar o 75º aniversário do bombardeio atômico em Hiroshima.
Geral

Hiroshima: primeiro ataque com bomba atômica completa 75 anos

Hiroshima foi destruída após o primeiro ataque nuclear da história durante a Segunda Guerra Mundial. Três dias depois os Estados Unidos bombardearam Nagazaki.

.facebook
Internacional

Facebook remove postagem de Trump por desinformação sobre covid-19

Porta-voz do Facebook diz que vídeo postado inclui afirmações falsas, o que é uma violação de sua política sobre desinformações prejudiciais.

Polícia Federal genérica
Geral

PF cumpre 6 mandados de prisão contra fraudes em contratações na saúde

Alvos são empresários e agentes públicos suspeitos de fazer contratações irregulares para serviços na área da saúde. Três pessoas já foram presas, segundo a Polícia Federal.

Teste rápido de COVID-19
Internacional

Coreia do Norte: 1º caso suspeito de covid-19 teve teste inconclusivo

Se confirmado, o caso seria o primeiro oficialmente reconhecido por autoridades norte-coreanas, embora a mídia reafirme que nenhuma infecção foi relatada no país até agora.

Incêndios florestais no DF
Geral

Defesa Civil reconhece situação de emergência em municípios de MS

Medida publicada hoje em portaria no Diário Oficial da União inclui os municípios de Corumbá e Ladário. Incêndios florestais atingem algumas regiões de Mato Grosso do Sul.