Lucro do Banco do Brasil cai 20% no primeiro trimestre

Lucro líquido registrado no período foi de R$ 3,2 bilhões

Publicado em 07/05/2020 - 09:36 Por Kelly Oliveira - Repórter da Agência Brasil - Brasília

O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 3,2 bilhões no primeiro trimestre deste ano, queda de 20% em relação ao mesmo período de 2019. O resultado foi divulgado hoje (7) pelo Banco Central. Em relação ao quarto trimestre do ano passado, a retração chegou a 43,7%.

O lucro ajustado (que não considera eventos extraordinários) ficou em em R$ 3,4 bilhões no primeiro trimestre, decréscimo de 20,1% em relação ao mesmo período do ano passado. “Em virtude do atual cenário desafiador para todo o sistema, o resultado do trimestre teve impacto da antecipação prudencial que resultou no reforço de provisões [recursos reservados para o caso de inadimplência] em R$ 2,04 bilhões, sendo:R$ 1,17 bilhão no segmento pessoa física, R$ 824 milhões no segmento pessoa jurídica e R$ 46 milhões no agronegócio”, diz o BB.

O banco destaca que apesar da queda do lucro, a geração de negócios permaneceu forte, evidenciada pelo crescimento de 15,4% do resultado estrutural na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. “Esse cálculo é composto pelo produto bancário e pelas despesas operacionais totais, não sofre os efeitos das provisões. Os principais vetores desse resultado foram o crescimento da carteira de crédito e o incremento nas rendas com prestação de serviços”.

O BB destaca ainda a colaboração dos avanços da estratégia digital para os impactos positivos no desempenho.

Crédito

A carteira de crédito ampliada (empréstimos mais as operações com títulos, valores mobiliários privados e garantias) totalizou R$ 725,1 bilhões, crescimento de 5,8% em 12 meses. No mesmo período, a carteira pessoa física ampliada cresceu 9%, a pessoa jurídica ampliada cresceu 5,9% e a carteira rural ampliada apresentou desempenho positivo de 2,5%.

A carteira de pessoa física cresceu em função do desempenho positivo em crédito consignado (R$ 84,5 bilhões), que evoluiu 16,4% em 12 meses, e na linha empréstimo pessoal, que cresceu 36% no período e alcançou R$ 11,6 bilhões.

A carteira de crédito ampliada para pessoasjurídica cresceu 5,9% na comparação anual e totalizou R$ 273 bilhões. A carteira para micro e pequenas empresas (R$ 65,964 bilhões) cresceu 12% em 12 meses, com destaque para o crescimento de 26,8% no capital de giro.

A carteira rural ampliada apresentou desempenho positivo de 2,5% na comparação anual, totalizando R$ 173,3 bilhões. O BB destacou a carteira para produtores pessoas físicas, que cresceu 7,2%.

Inadimplência

O índice de inadimplência superior a 90 dias sofreu redução de 0,1 ponto percentual frente a dezembro de 2019, alcançando 3,17% em março.

Receitas com prestação de serviços

No primeiro trimestre, as receitas com prestação de serviços cresceram 4% na comparação com o mesmo período de 2019, alcançando R$ 7,1 bilhões. O BB destacou o desempenho das linhas de consórcios (19,2%); seguros, previdência e capitalização (15,3%); e administração de fundos (13,3%).

Despesas Administrativas

As despesas administrativas seguem sob controle, diz o BB. Apresentaram crescimento de 2,7% na comparação de 12 meses.

Índice de Basileia

O índice de Basileia atingiu 17,8% em março de 2020. O BB diz que mantém o compromisso de atingir um patamar mínimo de 11% de capital principal em janeiro de 2022. Esse percentual indica a capacidade do banco de emprestar, levando em consideração os recursos próprios e a ponderação de riscos de perdas. O índice é um conceito internacional definido pelo Comitê de Basileia.

Pandemia

O banco informou que entre 16 de março e 30 de abril foram registrados mais de R$ 98 bilhões em desembolso de empréstimos e prorrogações de operações de crédito, medidas anunciadas para o enfrentamento da crise econômica gerada pela pandemia de covid-19. Foram mais de R$ 46 bilhões em desembolsos de novos recursos (R$ 4,7 bilhões para pessoas físicas, R$ 28,9 bilhões para empresas e R$ 12,5 bilhões ao agronegócio) e mais de R$ 52,1 bilhões em renovações e prorrogações (R$ 16,3 bilhões para pessoas físicas e R$ 34,9 bilhões para empresas e R$ 970 milhões para ao agronegócio).

Para as micro e pequenas empresas, o desembolso de recursos totalizou R$ 25,8 bilhões, principalmente para linhas de antecipação de recebíveis e de capital de giro, sendo R$ 3,6 bilhões em crédito novo e R$ 22,1 bilhões em renovações e prorrogações.

Para as grandes empresas, o desembolso totalizou R$ 35,5 bilhões. “O desembolso para esse segmento foi motivado por aumento na demanda por recursos para capital de giro, por empresas que atuam em setores mais atingidos pela retração da atividade econômica, ou para investimentos, por empresas que buscaram ampliar sua atividade para atender a aumento imediato da demanda”, diz o banco.

Foram firmados 3.271 contratos de financiamento da folha de pagamento. “Trata-se de linha de crédito emergencial para financiar, por até dois meses, a folha de pagamentos de pequenas e médias empresas. Essa iniciativa tem o objetivo de apoiar os empresários no enfrentamento dos desafios impostos pela pandemia de covid-19, preservando empregos e a renda familiar, e buscando também atenuar o impacto no fluxo de caixa das empresas”.

O BB informou ainda que iniciou o pagamento do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e Renda (Bem), destinado aos empregados das empresas que aderirem ao programa.

Quanto ao auxílio emergencial, foram realizados mais de 1,2 milhão de pagamentos, valor superior aos R$ 862 milhões enviados diretamente aos cidadãos pelo BB.

Edição: Graça Adjuto

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Internacional

Vendedores e consumidores enfrentam riscos em mercado de Caracas

No maior mercado de produtos agrícolas da capital venezuelana, as pessoas dão pouca atenção às regras de distanciamento, embora muitos usem máscaras

São Paulo - Comitê Paralímpico Brasileiro anuncia os 25 atletas convocados para a seleção que participará do Mundial de Paratletismo Londres 2017, no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro (Rovena Rosa/Agência Brasil)
Esportes

Bolsa Atleta: divulgada lista de contemplados no programa

Ao todo são 109 atletas contemplados de modalidades que fazem parte dos programas Olímpico e Paralímpico, referente ao pleito 2019.

10/08/2019 - 2 Nacional de Atletismo - Circuito Loterias Caixa de Atletismo - Centro Paralímpico Brasileiro - São Paulo (SP) - Detalhe de um atleta segurando um disco durante a prova de Lançamento de Disco - Masculino
Esportes

Lançamento de disco: falta de competições preocupa Fernanda Borges

Enquanto brasileira treina com restrições por causa da pandemia do novo coronavírus no Brasil, estrangeiras já retornaram a torneios.

Parque Nacional do Itatiaia
Geral

Parque Nacional do Itatiaia inicia hoje reabertura gradual

Por enquanto, atrações da parte alta, como o Pico das Agulhas Negras, o Maciço das Prateleiras e a Cachoeira de Aiuruoca, além do camping, continuam fechados. 

Auxiliares de limpeza trabalham em hospital no combate à covid-19
Saúde

Auxiliares de limpeza contam sua rotina em hospital durante pandemia

Maria Berenice diz que o cuidado com a limpeza aumentou ao ficar na linha de frente do combate à pandemia do novo coronavírus. "Significou ver de perto o sofrimento das pessoas".

Apostadores fazem fila em casa lotérica. A Caixa Econômica Federal sorteia hoje (08) as seis dezenas do concurso 2.149 da Mega-Sena acumulada, que deve pagar um prêmio de R$ 170 milhões.
Geral

Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio de R$ 3 milhões

O sorteio será realizado a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário do Tietê, na cidade de São Paulo.