Neymar engrossa coro antirracista de atletas e clubes por todo o mundo

Craque se manifesta no Instagram; Fifa é contra punição de protestos

Publicado em 02/06/2020 - 18:19 Por Rodrigo Ricardo - Repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro
Atualizado em 02/06/2020 - 19:30

O grito antirracista segue ecoando pelo mundo do futebol. Depois de vários jogadores e clubes se posicionarem a favor da causa, Neymar, principal astro brasileiro da bola, também decidiu se manifestar publicamente nesta terça-feira (2). Em sua conta no Instagram, o craque do PSG publicou duas imagens. A primeira apresenta um fundo preto, símbolo dos protestos que começaram após a morte do afro-americano George Floyd, por um policial, na cidade de Minneapolis (Estados Unidos), no último dia 25. A outra imagem é uma foto de um braço tatuado onde se lê a palavra Fé. Ao lado de ambas as imagens, Neymar escreveu o lema da campanha - black lives matter (vidas negras importam) - e a hashtag #blackouttuesday.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Black lives matter 🖤 #blackouttuesday

Uma publicação compartilhada por ene10ta Érre 🇧🇷 👻 neymarjr (@neymarjr) em

 

Após a publicação do jogador, Ivan More, um dos 132 milhões de seguidores do camisa 10 do PSG e da seleção brasileira comentou: “super importante seu posicionamento em situações assim! Quando o ídolo toma partido, faz diferença pela forma de pensar e agir”. 

No Brasil, Talles Magno (Vasco), Igor Julião (Fluminense), Gabriel Barbosa (Flamengo) já tinham postado mensagens abordando o tema. Na noite de ontem (1º de junho), o capitão do Rubro-Negro carioca, Everton Ribeiro, se manifestou com uma sequência de mensagens em sua conta pessoal no Twitter. Em uma das publicações o meia-atacante abordou o tema do racismo estrutural: “não é normal que um país onde a maioria da população é negra, eles sejam a minoria em universidades e grandes empresas”.

Na última postagem, afirmou: “Não quero ficar em silêncio e compactuar com um país que mata um negro a cada 23 minutos”.

 

Por meio de nota oficial, a Fifa tambem se manifestou hoje (2), a respeito dos protestos feitos por atletas, inclusive durante as partidas. A entidade maior do futebol profissional afirmou que "se manifesta repetidamente contra o racismo e a discriminação de qualquer tipo e recentemente fortaleceu suas próprias regras disciplinares com o objetivo de ajudar a erradicar esse comportamento".

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, ainda ressaltou que "para evitar dúvidas, em uma competição da FIFA, as recentes manifestações de jogadores em partidas da Bundesliga merecem aplausos e não punição". 

Segundo o comunicado, "a aplicação das Leis do Jogo, aprovadas pela IFAB, fica a cargo dos organizadores das competições, que devem usar o bom senso e levar em consideração o contexto em torno dos eventos".

Ao final da nota, Gianni Infantino ainda defendeu: "Todos devemos dizer não ao racismo e a qualquer forma de discriminação. Todos devemos dizer não à violência. Qualquer forma de violência".

 

*Atualizado às 19h30 para acréscimo de informações.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
O Dia do Índio, celebrado no Brasil em 19 de abril
Direitos Humanos

Violência contra povo indígenas aumentou de 2018 para 2019, diz Cimi

Segundo relatório do Conselho Indigenista Missionário, houve aumento de ocorrências em 16 das 19 categorias de agressões, que incluem racismo, expropriação de terras e omissão do poder público.