Manifestações contra o racismo repercutem no mundo do esporte

Personalidades e clubes registram protestos nas redes sociais

Publicado em 01/06/2020 - 13:19 Por Mauricio Costa - Repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro

A morte do norte-americano George Floyd, no dia 25 de maio, e as manifestações contra o racismo nos Estados Unidos ainda repercutem em todo mundo. Não seria diferente no esporte.

O maior jogador de basquete da história e hexacampeão da NBA pelo Chicago Bulls, Michael Jordan, emitiu um comunicado neste domingo (31) em seu perfil oficial do Twitter.

“Estou profundamente triste, machucado e nervoso. Eu vejo e sinto a frustração e ira de todos. Eu fico do lado daqueles que se opõem ao racismo e violência contra pessoas de cor no nosso país. Basta”.

 

George Floyd foi detido por policiais no último dia 25, na cidade de Minneapolis, em Minnesota, após suspeita de ter comprado cigarros em um supermercado com uma nota falsa de US$ 20. Um vídeo feito no momento da prisão de Floyd mostrou o policial Derek Chauvin pressionando o joelho sobre o pescoço do afro-americano por 8 minutos e 46 segundos.

A morte de Floyd desencadeou uma série de protestos por todo o mundo. No esporte, atletas se posicionaram contra o racismo, como as tenistas Serena Willians e Coco Gauff, o jogador de basquete do Boston Celtics, Jaylen Brown, e o dirigente da NFL, Roger Goodell.

Ouça na Rádio Nacional

 

No futebol, o atacante Marcus Thuram fez dois gols na vitória  de 4 a 1 do Borussia Mönchengladbach sobre o Union Berlin, ontem (31), pelo Campeonao Alemão. O francês não comemorou o primeiro gol, ele se ajoelhou e baixou a cabeça, em homenagem a George Floyd. Marcus Thuram é filho de Lilian Thuram, campeão mundial em 1998 com a França. O ex-zagueiro é ativista contra a discriminação racial.

Nesta segunda-feira (1º de junho), o Liverpool também protestou em seu Instagram. O clube republicou uma foto do perfil do meio-campista Jordan Henderson com todos os jogadores dos Reds ajoelhados ao redor do círculo central do gramado do estádio de Anfield Road com a legenda: a união faz a força. O goleiro brasileiro Alisson Becker utilizou a mesma foto em seu perfil oficial na rede social.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

#Repost @jhenderson ✊ ・・・ Unity is strength #BlackLivesMatter

Uma publicação compartilhada por Liverpool Football Club (@liverpoolfc) em

Na Fórmula 1, o britânico Lewis Hamilton questionou seu próprio esporte. Nos stories de seu Instagram, o hexacampeão criticou a falta de posicionamento de colegas de profissão.

“Eu vejo aqueles de vocês que estão calados, algumas das maiores estrelas [do esporte], ainda assim ficam calados em meio à injustiça. Nenhum sinal de ninguém da minha indústria que, claro, é um esporte dominado por brancos. Eu sou uma das únicas pessoas de cor lá e estou sozinho. Eu imaginei que, chegado este momento, vocês veriam por que isso acontece e falariam algo sobre isso, mas vocês não podem ficar ao nosso lado. Apenas saibam que eu sei quem vocês são e eu vejo vocês."

Postagem de protesto contra a morte do norte-americano George Floyd, feita no histories do Instagram, pelo piloto britânico de Fórmula 1 Lewis Hamilton.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias