Regata ecológica recolhe 363 quilos de lixo na Baía de Guanabara

Publicado em 30/04/2014 - 20:38 Por Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Mais de 200 pessoas, entre aspirantes da Escola Naval e estudantes universitários recolheram hoje (30) 363 quilos de lixo da Baía de Guanabara, com destaque para a quantidade de garrafas PET. Eles participaram da Regata Ecológica da Escola Naval, que chegou neste ano à sua 15ª edição.

A competição, como em uma gincana, teve 20 embarcações divididas nas categorias cabinados, escaler e oceânicos, como parte das comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho. O evento foi antecipado devido à mudança no calendário acadêmico, por causa da Copa do Mundo, que começa no dia 12 de junho.

Para o comandante da Escola Naval, contra-almirante Marcelo Francisco Campos, o principal objetivo da regata é promover o contato dos jovens com o mar. “A mensagem da regata é promover o contato de estudantes com o mar, com a noção de desenvolver a mentalidade marítima, o conhecimento do mar, de respeitar o mar e, sobretudo, preservá-lo. É a 15ª edição da regata, que já virou tradição na Escola Naval”.

De acordo com ele, o lixo encontrado nas águas danifica as embarcações com frequência. “O lixo é uma constante, o ideal era que promovêssemos uma regata sem lixo, que fosse só uma regata, não para recolher lixo. Um simples plástico pode entrar no sistema de refrigeração de um motor e causar avarias graves. Uma sacola de plástico, um sofá - como já vimos -, uma cadeira de plástico que bata numa hélice causa um dano enorme, assim como a garrafa PET”, explicou.

Estudante de direito, Roberta Bastos participou do evento pela primeira vez, a convite de um amigo, e pretende vir outras vezes. “Eu vim neste ano para velejar e ver como é o trabalho. É uma experiência muito legal, é incrível, porque no dia a dia a gente não pode fazer esse tipo de coisa, e ainda ajuda o meio ambiente. Encontramos bastante coisa, muito pesadas inclusive; encontramos também muitos chinelos”, disse ela.

O aspirante Lucas Lima, que cursa o 4º ano da Escola Naval, participa da regata desde o 1º ano de estudo. Desta vez, ajudou na organização. Segundo ele, “é uma satisfação muito grande tentar limpar a Baía de Guanabara, porque é triste ver tanto lixo. Mais de 200 quilos de lixo são catados por ano nessa ação, a gente tenta fazer a nossa parte”.

A 1ª Regata Ecológica da Escola Naval ocorreu em 1998. A divulgação é feita pelos aspirantes nas universidades, com preferência para cursos ligados ao meio ambiente, como biologia e biologia marinha, mas qualquer estudante universitário pode participar.

 

Edição: Stênio Ribeiro

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Live Jair Bolsonaro 13.08.2020
Política

Bolsonaro: não existe tentativa de furar o teto de gastos

Bolsonaro defendeu a realização de investimentos públicos em áreas sociais e obras de infraestrutura, mas disse que não existe tentativa de "golpe" para "furar o teto".

A partir de hoje (17) estão liberadas as práticas de esportes coletivos como vôlei, futevôlei, beach tennis e futebol nas praias do Rio de Janeiro.
Geral

Senado aprova auxílio de R$ 600 para trabalhadores do esporte

O Senado aprovou hoje um projeto de lei que regulariza o recebimento do auxílio emergencial por funcionários e atletas do setor de esportes.

Edifício sede do Superior Tribunal de Justiça STJ
Justiça

Ministro do STJ revoga prisão domiciliar de Queiroz e esposa

 Fabrício Queiroz é investigado em um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. 

Vista geral da favela Morro Azul, na zona sul do Rio de Janeiro.
Geral

Rio: 1,4 mil mortes por covid-19 foram em favelas, mostra painel

Número se referem às favelas da capital. O estado do Rio de Janeiro registrou 14.080 óbitos desde a chegada do novo coronavírus no Brasil, dos quais 8.612  na capital.

O TSE aumentou o esquema de segurança para acessar o prédio do tribunal neste domingo
Justiça

TSE adia decisão a respeito de tese sobre abuso de poder religioso

Até o momento, os ministros Alexandre de Moraes e Tarcísio de Carvalho Neto votaram contra a medida. Somente o relator, Edson Fachin, defendeu a tese para punição. 

Escola fechada por cinco dias após relatos de coronavírus.
Justiça

TJRJ determina que escolas se preparem para retorno, mesmo em greve

Decisão diz que 70% dos funcionários do administrativo devem retornar ao trabalho presencial, mesmo durante a greve, para prepararem a volta às aulas.