Disque 100 recebeu mais de 700 mil denúncias de violações de direitos humanos

O serviço funciona 24 horas. As ligações são gratuitas e podem ser

Publicado em 04/12/2014 - 18:32 Por Da Agência Brasil - Brasília

A ministra Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), Ideli Salvatti, durante solenidade de comemoração aos 11 anos do Disque Direitos Humanos Disque 100 ( José Cruiz/Agência Brasil)

Ideli: denúncia é fundamental para conter violações  de  direitos  humanos       José  Cruz/Agência  Brasil

Desde 2003, quando foi criado, o Disque 100 recebeu mais de 700 mil denúncias de violações dos direitos humanos. O balanço foi apresentado hoje (4) pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH) no aniversário de 11 anos do serviço. Além de receber denúncias, o serviço oferece orientação sobre as ações dos governos federal, estadual e municipal para promoção dos direitos humanos.

O Disque 100 funciona 24 horas por dia, as ligações são gratuitas e podem ser feitas de qualquer local no Brasil. A denúncia é anônima. As demandas são encaminhadas para as autoridades competentes. Para a ministra da SDH, Ideli Salvatti, o serviço precisa avançar no acompanhamento das solicitações.

“O nosso principal desafio é fazer o monitoramento.  A gente encaminha a denúncia para a autoridade responsável mais próxima da ocorrência, mas depois não temos como saber se aquela denúncia foi apurada e, se confirmada, se a violência foi superada”, disse a ministra.

Criado para receber denúncias de violência contra crianças e adolescentes, o serviço foi ampliado em 2011 e passou a receber demandas de violações que atingem idosos, pessoas com deficiência, gays e população em situação de rua. Com a mudança, o número de denúncias passou de 30 mil, em 2011, para 180 mil, em 2013.

“A denúncia é fundamental, pois determinadas violações de direitos humanos acontecem muitas vezes dentro do próprio lar, em situações onde as autoridades não têm condições de observar, fiscalizar. É muito importante que as pessoas, assistindo a um caso de violência, ligue para o Disque 100 para que a gente possa colocar uma autoridade naquela ocorrência”, salientou a ministra. 

Edição: Beto Coura

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Comércio de rua em Brasília.
Economia

Inflação oficial fica em 0,36% em julho, diz IBGE

Com o resultado, o IPCA acumula taxas de inflação de 0,46% no ano e de 2,31% em 12 meses, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Destruição provocada por explosão em Beirute
Internacional

Mortes por explosão em Beirute sobem para 154

Ministro da Saúde, Hamad Hasan, disse que uma em cada cinco, das 5 mil pessoas feridas na explosão de terça-feira (4), precisou de hospitalização e 120 estavam em estado crítico.

Aplicativo Caixa Tem
Economia

Caixa credita hoje auxílio emergencial para nascidos em junho

O auxílio, com parcelas de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), foi criado para reduzir os efeitos da crise econômica causada pela pandemia da covid-19.

Geral

No Rio, deslizamento no morro da Mangueira atinge 12 casas

Defesa Civil isolou a área atingida e equipes aguardam a retirada do material que deslizou para avaliar o estado das casas. Vinte agentes da Defesa Civil e da Guarda Municipal estão a postos.

bola liga dos campeões
Esportes

Liga dos Campeões da Europa retorna com jeito de Copa do Mundo

Torneio terá jogos sem torcida e reta final será disputada em Lisboa, em jogo único, nos estádios José Alvalade (Sporting) e da Luz (Benfica).

Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom
Internacional

OMS: recuperação econômica global pode ser mais rápida com vacina

"O nacionalismo com vacinas não é bom, não vai nos ajudar", afirmou o diretor-geral da organização, ao comentar a disputa competitiva entre diversas nações e seus laboratórios.