Instituto no Rio amplia captação de ossos e tendões a outros estados

Publicado em 23/07/2015 - 15:44 Por Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Com o objetivo de resolver o problema de captação para o banco de tecidos que abastece todo o país, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into) iniciou em maio deste ano, no Paraná, um projeto-piloto que deu resultado positivo e serviu de base para tornar rotina, desde mês de julho o procedimento de captação de ossos e tendões no Brasil.

O banco de tecidos do Into, que é ligado ao Ministério da Saúde, serve a todos os hospitais do país que necessitam de transplante ósseo, inclusive hospitais privados, desde que estejam cadastrados na Central Nacional de Transplantes. “Este é o único banco público que atende às demandas no país, e a gente estava com baixa captação no primeiro semestre. Tínhamos captado apenas 11 doadores”, disse à Agência Brasil o diretor do Into, João Matheus Guimarães.

No Paraná, onde já havia uma cultura anterior de captação de tecido ósseo, a equipe do Into conseguiu fazer duas captações. O objetivo, a partir de agora, é captar doadores em outros estados, em especial nas regiões Sudeste e Sul, para que aumentar esse tipo de trabalho em regiões que estejam estruturadas para isso, informou Guimarães. Segundo ele, no Norte e Nordeste, regiões em que a logística é mais complicada, o Into dará continuidade às ações assistenciais e mutirões de cirurgias de alta complexidade.

A captação pelo banco de tecidos do Into começou há 16 anos, com média de 27 doadores nos dois últimos anos. Cada doação beneficia entre 30 e 40 pacientes, dependendo do tipo de patologia. Guimarães explicou que a preferência é pelo doador cadáver, que permite que se capte muito mais tecido ósseo do que em um doador vivo.

Quando um paciente vai fazer, por exemplo, uma cirurgia de prótese de quadril, a cabeça do fêmur, que é retirada, pode ser doada para o banco. “O problema é que a quantidade de osso é pequena, e o custo que ela vai ter é o mesmo que o da captação de um doador cadáver, cuja quantidade é enorme: são dois úmeros, dois fêmures, duas tíbias. Por isso, a gente prefere captar de doador cadáver.”

Guimarães disse que a população precisa ser orientada sobre a necessidade da doação, porque existe o temor de que o cadáver fique desfigurado, mas, na prática, isso não ocorre. “A gente reconstrói. Leva ossos sintéticos, faz uma verdadeira cirurgia, reconstituindo o paciente que foi doador.”

A média de captação anual do banco de tecidos tem aumentado ao longo do tempo e chegou a 27 doações em 2013 e 2014. Com a expansão da rotina para o país, haverá crescimento da captação de ossos e tendões, ressaltou o diretor do Into. O ideal é ultrapassar a marca de 30 doadores por ano para atender todas as demandas do Brasil. “O céu é o limite. Quanto mais a gente conseguir, melhor. Capacidade de armazenar, nós temos”, afirmou Guimarães.

O Into está fazendo contatos para levar o procedimento de captação de ossos e tendões para Minas Gerais, Espírito Santo e Santa Catarina. Segundo Guimarães, a expectativa é que o segundo semestre seja fundamental para a implantar a captação. Em primeiro lugar, tem que ser feito um trabalho de convencimento da família do paciente com morte cerebral, para que concorde com a captação de tecidos, pela rede de transplante local.


Fonte: Into amplia captação de ossos e tendões a todo o país

Edição: Stênio Ribeiro

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Polícia Civil do Rio de Janeiro.
Direitos Humanos

Rio: operação prende suspeitos de violência contra a mulher

De acordo com a delegada Sandra Ornellas, somente em 2019 as delegacias de atendimento à mulher no Rio indiciaram 16.703 suspeitos de violência doméstica e familiar.

O jogador Guerrero, do Internacional
Esportes

Três jogos fecham segunda rodada da Série A do Brasileirão

São Paulo, Fortaleza, Internacional, Santos, Vasco e Sport entram em campo na noite desta quinta-feira pelo nacional de futebol.

 Escultura do Cristo Redentor na praia de Copacabana.
Saúde

Cristo Redentor passa por desinfecção antes da reabertura no sábado

Até agora, já foram feitas mais de 400 desinfecções em locais públicos como rodoviárias, aeroportos, estações de trens, metrôs e barcas, hospitais e unidades de saúde e asilos.

Presidente russo, Vladimir Putin, visita hospital de Moscou com roupa de proteção
Internacional

Rússia: médicos serão vacinados contra covid-19 em duas semanas

Alexander Gintsburg, diretor do Instituto Gamaleya, produtor da vacina, disse que o país planeja ter capacidade para produzir 5 milhões de doses por mês entre dezembro e janeiro.

Pesquisadores retiram soro de cavalo
Saúde

Soros produzidos por cavalos têm anticorpos potentes para covid-19

O coordenador do projeto, Jerson Lima Silva, da UFRJ, apresenta os resultados da pesquisa hoje (13) à noite, durante simpósio sobre covid-19 na Academia Nacional de Medicina, no Rio.

Funcionário da CureVac demonstra fluxo de pesquisa para vacina contra coronavírus em Tuebingen, na Alemanha
Internacional

Instituto alemão diz que vacina pode estar disponível logo

Em comunicado, o Instituto Robert Koch informou em seu site que uma primeira vacina poderá estar pronta até o outono de 2020, mas que o impacto pode ser moderado devido a mutações virais.