Greenpeace entrega à Câmara projeto de lei por desmatamento zero

Publicado em 07/10/2015 - 19:34 Por Aline Leal - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Brasília - O Greenpeace entregou na Câmara texto de um projeto de lei de iniciativa popular, que institui o desmatamento zero no Brasil com participação de artistas (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Caixas com as assinaturas obtidas pelo projeto de lei chegam à Câmara Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A organização não governamental (ONG) Greenpeace entregou hoje (7) a um grupo de deputados o Projeto de Lei pelo Desmatamento Zero. O documento começou a circular no país em 2012 e foi assinado por mais de 1,4 milhão de brasileiros.

Pelo projeto, de iniciativa popular, fica proibido o corte de florestas nativas no Brasil. Deputados da Frente Parlamentar Ambientalista e outros engajados com a causa receberam as assinaturas no Salão Verde da Câmara dos Deputados, em solenidade da qual participaram artistas e representantes de movimentos sociais.

Brasília - O Greenpeace entregou na Câmara texto de um projeto de lei de iniciativa popular, que institui o desmatamento zero no Brasil com participação de artistas (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Ativistas e artistas acompanham entrega do projeto na CâmaraFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Para o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), o projeto é extremamente racional. “Esse projeto é fácil de tramitar, são poucos artigos, e nós podemos ter um ganho espetacular. O Brasil pode continuar sendo campeão de biodiversidade”, afirmou o deputado.

O coordenador de Estratégia do Greenpeace, Paulo Adário, disse que o movimento teve a preocupação de elaborar uma lei viável, com cinco artigos:  o primeiro proíbe o desmatamento de florestas nativas em todo território nacional. Em seguida, vêm as exceções, como comunidades indígenas e quilombolas e, por fim, o projeto revoga todas as leis em contrário.

”O que está comprovado é que não é mais preciso desmatar pra produzir. Desde 2006 não se compra soja de área desmatada, e a soja na Amazônia triplicou sem novos desmatamentos, o mesmo acontece com o gado”, disse Adário.

Segundo o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ), se houver acordo de líderes, é possível que o projeto seja votado antes da 21ª Conferência sobre Clima da ONU (COP-21), que será de 30 de novembro a 11 de dezembro em Paris. “É possível. Espero que o Congresso Nacional ouça a sociedade. Quase 1,5 milhões de pessoas estão pedindo que votem essa lei, o Congresso poderia votar isso logo.”

Edição: Nádia Franco

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias