Pesquisa: 54% dos paulistanos aprovam aumento da velocidade nas marginais

Entre os que apoiam a medida, grande parte utiliza automóvel todos os

Publicado em 24/01/2017 - 09:33 Por Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil - São Paulo

 

Pistas locais das marginais Pinheiros e Tietê tiveram sua velocidade reduzida para 50 km/h ( Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Pistas locais das marginais Pinheiros e Tietê tiveram sua velocidade reduzida para até 50 km/h ( Marcelo Camargo/Agência Brasil)Marcelo Camargo/Agência Brasil

O aumento da velocidade nas vias marginais é aprovada por 54% dos moradores da capital paulista, mostra a pesquisa do Índice de Referência de Bem-Estar no Município. O levantamento, divulgado hoje (24) pela Rede Nossa São Paulo, ouviu mil moradores da cidade entre os dias 8 de dezembro de 2016 e 4 de janeiro deste ano.

Entre os que apoiam a medida, grande parte utiliza automóvel todos os dias e raramente usa ônibus. Entre os 41% que são contrários à elevação dos limites, parte significativa disse que raramente se locomove de carro.

A elevação da velocidade máxima nas marginais Pinheiros e Tietê foi uma promessa de campanha do prefeito João Doria. Antes mesmo de assumir oficialmente em dezembro passado, a equipe da atual administração anunciou que aumentaria os limites. O secretário municipal de Transportes, Sérgio Avelleda, disse que está prevista uma série de ações que, em conjunto, tornarão as vias mais seguras, permitindo o aumento dos limites de velocidade.

A prefeitura havia reduzido a velocidade não só nas marginais, como em diversas ruas e avenidas da cidade, como parte de um programa de segurança no trânsito da gestão do então prefeito Fernando Haddad. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) divulgou, em outubro passado, um balanço que mostrou queda de 52% no número de acidentes com mortes nas marginais Tietê e Pinheiros, durante o primeiro ano de implantação da redução de velocidade.

Na última sexta-feira (20), a Justiça de São Paulo concedeu liminar contra a alteração dos limites nas marginais. Segundo o juiz Luís Manuel Fonseca Pires, como a redução da velocidade levou a uma diminuição expressiva do número de mortes, não há justificativa para a elevação. “Sem estudos prévios, alternativas concretas a manter os índices satisfatórios alcançados de drástica redução dos eventos de morte nas marginais, não há fundamento jurídico na eliminação de um programa que atinge os objetivos alhures anunciados”, diz o texto da decisão.

Com a elevação, os limites voltariam a 90 quilômetros por hora (km/h) nas pistas expressas, 70 km/h nas centrais e 60 km/h nas pistas locais. Atualmente, os limites são de 70 km/h, 60 km/h e 50 km/h, respectivamente.

Mobilidade e qualidade de vida

De acordo com o Índice de Referência de Bem-Estar, 44% dos entrevistados levam até duas horas diariamente para ir e voltar do trabalho. O tempo gasto, em média, com esse deslocamento é de 1h47 para os usuários de ônibus e 1h45 para os que vão de carro.

A pesquisa avalia ainda 71 itens em 17 áreas temáticas. Todos os pontos receberam notas abaixo da média de 5,5 em uma escala de 1a 10. Os quatro temas com menor satisfação, com pontuação menor do que 2,5, foram a forma de participação na escolha dos subprefeitos, transparência dos gastos e investimentos públicos, o tempo médio entre a marcação e a realização de procedimentos mais complexos e a punição à corrupção.

As áreas temáticas mais mal avaliadas foram transparência e participação política, desigualdade social, assistência social, transporte/trânsito (mobilidade) e habitação.

Edição: Graça Adjuto

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Live Jair Bolsonaro 13.08.2020
Política

Bolsonaro: não existe tentativa de furar o teto de gastos

Bolsonaro defendeu a realização de investimentos públicos em áreas sociais e obras de infraestrutura, mas disse que não existe tentativa de "golpe" para "furar o teto".

A partir de hoje (17) estão liberadas as práticas de esportes coletivos como vôlei, futevôlei, beach tennis e futebol nas praias do Rio de Janeiro.
Geral

Senado aprova auxílio de R$ 600 para trabalhadores do esporte

O Senado aprovou hoje um projeto de lei que regulariza o recebimento do auxílio emergencial por funcionários e atletas do setor de esportes.

Edifício sede do Superior Tribunal de Justiça STJ
Justiça

Ministro do STJ revoga prisão domiciliar de Queiroz e esposa

 Fabrício Queiroz é investigado em um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. 

Vista geral da favela Morro Azul, na zona sul do Rio de Janeiro.
Geral

Rio: 1,4 mil mortes por covid-19 foram em favelas, mostra painel

Número se referem às favelas da capital. O estado do Rio de Janeiro registrou 14.080 óbitos desde a chegada do novo coronavírus no Brasil, dos quais 8.612  na capital.

O TSE aumentou o esquema de segurança para acessar o prédio do tribunal neste domingo
Justiça

TSE adia decisão a respeito de tese sobre abuso de poder religioso

Até o momento, os ministros Alexandre de Moraes e Tarcísio de Carvalho Neto votaram contra a medida. Somente o relator, Edson Fachin, defendeu a tese para punição. 

Escola fechada por cinco dias após relatos de coronavírus.
Justiça

TJRJ determina que escolas se preparem para retorno, mesmo em greve

Decisão diz que 70% dos funcionários do administrativo devem retornar ao trabalho presencial, mesmo durante a greve, para prepararem a volta às aulas.