Sete ônibus são incendiados após confronto entre PMs e bandidos em Nova Iguaçu

Publicado em 15/04/2017 - 12:46 Por Paulo Virgilio - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Sete ônibus foram incendiados na noite de sexta-feira (14) na Estrada de Madureira, próximo à comunidade Dom Bosco, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Os incêndios ocorreram após um confronto entre bandidos armados e policiais militares do Batalhão de Polícia de Choque, que faziam uma operação na mesma área.

De acordo com informações do 20º Batalhão da Polícia Militar (Mesquita), três menores de idade feridos por estilhaços de armas de fogo deram entrada em unidades hospitalares da região. Já o Hospital Geral de Nova Iguaçu, o principal do município, informou hoje (15) que foram atendidos na emergência da unidade Carlos Gabriel Silva de Souza, de 18 anos, e uma menor, de um 1 ano e oito meses, vítimas de perfuração por arma de fogo.

Carlos Gabriel foi ferido no cotovelo esquerdo, submetido a uma cirurgia durante a madrugada, permanece internado e seu estado de saúde é estável. A criança, uma menina, foi ferida no braço esquerdo, também passou por procedimento cirúrgico com a equipe de ortopedia e continua internada na pediatria da unidade.

Em nota divulgada neste sábado, a Polícia Militar informou que o Comando de Operações Especiais (COE) tem atuado no policiamento da Baixada Fluminense desde a semana passada, quando, no dia 10, dois policiais militares em serviço foram feridos por criminosos na mesma região onde ocorreu o confronto da noite passada. Ainda segundo a PM, o patrulhamento do Batalhão de Mesquita e do COE está atuando neste sábado para impedir atos de vandalismo.

Ônibus

Também em nota à imprensa, a Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) repudiou os ataques a ônibus desta sexta-feira não só em Nova Iguaçu como também em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, em Macaé, no norte do estado, e em Araruama, na Região dos Lagos, em um total de 10 ocorrências. Segundo a entidade, somente este ano 29 veículos foram destruídos por meio de ações criminosas.

“A reposição de cada ônibus incendiado pode demorar até seis meses, entre encomenda, montagem, entrega e licenciamento do veículo. Durante esse período, na capital, 70 mil passageiros (ônibus urbano) ou 210 mil passageiros (ônibus articulados) deixam de ser transportados em cada veículo”, diz a nota da Fetranspor.

De acordo com o cálculo da entidade, em 2016, o custo de reposição da frota de 43 ônibus incendiados superou R$ 19 milhões.


*Colaborou Tâmara Freire, do Radiojornalismo da EBC 

Edição: Amanda Cieglinski

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Live Jair Bolsonaro 13.08.2020
Política

Bolsonaro: não existe tentativa de furar o teto de gastos

Bolsonaro defendeu a realização de investimentos públicos em áreas sociais e obras de infraestrutura, mas disse que não existe tentativa de "golpe" para "furar o teto".

A partir de hoje (17) estão liberadas as práticas de esportes coletivos como vôlei, futevôlei, beach tennis e futebol nas praias do Rio de Janeiro.
Geral

Senado aprova auxílio de R$ 600 para trabalhadores do esporte

O Senado aprovou hoje um projeto de lei que regulariza o recebimento do auxílio emergencial por funcionários e atletas do setor de esportes.

Edifício sede do Superior Tribunal de Justiça STJ
Justiça

Ministro do STJ revoga prisão domiciliar de Queiroz e esposa

 Fabrício Queiroz é investigado em um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. 

Vista geral da favela Morro Azul, na zona sul do Rio de Janeiro.
Geral

Rio: 1,4 mil mortes por covid-19 foram em favelas, mostra painel

Número se referem às favelas da capital. O estado do Rio de Janeiro registrou 14.080 óbitos desde a chegada do novo coronavírus no Brasil, dos quais 8.612  na capital.

O TSE aumentou o esquema de segurança para acessar o prédio do tribunal neste domingo
Justiça

TSE adia decisão a respeito de tese sobre abuso de poder religioso

Até o momento, os ministros Alexandre de Moraes e Tarcísio de Carvalho Neto votaram contra a medida. Somente o relator, Edson Fachin, defendeu a tese para punição. 

Escola fechada por cinco dias após relatos de coronavírus.
Justiça

TJRJ determina que escolas se preparem para retorno, mesmo em greve

Decisão diz que 70% dos funcionários do administrativo devem retornar ao trabalho presencial, mesmo durante a greve, para prepararem a volta às aulas.