Justiça mantém prisão de massoterapeuta que causou morte de modelo

Publicado em 30/11/2018 - 20:41 Por Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

O juiz Aylton Cardoso Vasconcellos, da 2ª Vara Criminal de Jacarepaguá, negou o pedido de revogação da prisão preventiva da massoterapeuta Valéria dos Santos Reis, que está foragida. O magistrado escreveu na decisão que “não surgiu fato novo que justificasse a soltura da acusada, conforme reivindicava a defesa de Valéria”.

Valéria, que se apresentava como biomédica, é acusada de ter aplicado silicone industrial na modelo Mayara da Silva Santos, de 24 anos, no dia 20 de julho último, vinda da Dinamarca, onde morava, para fazer um preenchimento nos glúteos e acabou morrendo horas depois. A modelo passou mal, após o procedimento, e morreu quando era transferida de ambulância para o hospital, depois de sofrer três paradas cardíacas.

Na decisão, o juiz designou uma audiência de instrução e julgamento para o dia 10 de janeiro de 2019, quando serão ouvidas testemunhas de defesa e acusação.

Edição: Sabrina Craide

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias