Secretário diz que política de segurança de barragens pode mudar

Publicado em 28/01/2019 - 15:04 Por Letycia Bond - Repórter da Agência Brasil - Brasília

O secretário de Geologia, Mineração e Transformação Natural do Ministério de Minas e Energia, Alexandre Vidigal, disse hoje (28), que após avaliação do governo federal da tragédia de Brumadinho, a política nacional de segurança de barragens pode ser revista. Ele avalia que os rejeitos não devem chegar à represa de Três Marias.

Segundo o secretário, a tragédia de Brumadinho "se diferencia muito da de Mariana" e não apresenta um quadro preocupante quanto ao risco de rompimentos de outras barragens na região.

A declaração foi dada ao término da primeira reunião do Ministério de Minas e Energia, com dirigentes da Vale, mineradora responsável pela barragem na mina do Córrego do Feijão, que rompeu na última sexta-feira (25), em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte.

Alexandre Vidigal reconheceu que pode haver vulnerabilidades em outras barragens, mas que seria "irresponsável" indicá-las sem um rigoroso exame. "Mas também pode não haver. Temos evidências de que o sistema existente funcionava."

Ele disse que eventuais inconsistências entre dados levantados pelos órgãos públicos e a Vale deverão ser estudados.

Ao defender "uma política de transparência", Alexandre Vidigal informou que o governo realizará uma série de reuniões para esclarecer o que de fato ocorreu, inclusive com empreendedores do ramo da mineração. "Precisamos nos tornar, nesse momento, parceiros e evitar futuras tragédias", argumentou.

Edição: Fernando Fraga

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias