Ministro sobrevoa áreas da Amazônia Legal atingidas por incêndios

Publicado em 03/10/2019 - 18:11 Por Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil - Brasília

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, sobrevoou hoje (3) algumas das áreas da região amazônica onde, desde o fim de agosto, militares, brigadistas e servidores de outros órgãos públicos lutam contra os focos de incêndio que atingem a Amazônia Legal (região composta pelos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins).

Após sobrevoar localidades do sul do Pará e do noroeste do Tocantins, o ministro disse ter observado um menor número de focos de incêndios – fato que ele atribuiu às ações de combate a incêndios desenvolvidas no âmbito da Operação Verde Brasil e à “conscientização da população”.

“Estamos muito satisfeitos”, disse Silva a jornalistas. Para o ministro, as autoridades públicas das três esferas devem aprender com a Operação Verde Brasil e evitar que uma situação semelhante à verificada este ano se repita. Executada por militares das Forças Armadas, a operação conta com a ação coordenada de agentes de órgãos de controle ambiental e de segurança pública federais, estaduais e municipais.

“Temos que colher os ensinamentos, particularmente os deste ano, em que nos debruçamos em relação ao problema ambiental. Tenho certeza de que os governos federal e estaduais, e também os municípios, com seus órgãos de fiscalização ambiental, farão uma análise ao fim das ações para que estes focos de incêndio diminuam no próximo ano”, comentou Silva, lembrando que a operação segue quase até o fim deste mês.

O emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) em áreas de fronteira, terras indígenas, unidades federais de conservação ambiental e em outras áreas da Amazônia Legal foi autorizada pelo presidente Jair Bolsonaro em 23 de agosto, com a assinatura do Decreto nº 9.985. Inicialmente, as ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais e combate aos focos de incêndio seriam realizadas até 24 de setembro. Quatro dias antes, contudo, o Palácio do Planalto editou o Decreto nº 10.022, prorrogando o prazo de vigência da GLO até 24 de outubro.

“Prorrogamos [os trabalhos] até o mês de outubro para consolidar os resultados. Ainda estamos na época de seca, mas as chuvas estão chegando e isto vai ajudar muito”, disse o ministro da Defesa.

De acordo com Silva, a maior dificuldade encontrada pelos militares é o tamanho da área de atuação. “Ela é maior que a Europa Ocidental. Há dificuldades logísticas, mas estamos indo muito bem. Até porque as Forças Armadas têm uma capilaridade muito grande na Amazônia Legal”, destacou.

Segundo o Ministério da Defesa, entre o início da ação, em 24 de agosto, e o último dia 26, os militares e integrantes de agências governamentais que participam da operação combateram mais de 1,5 mil focos de incêndio; detiveram 68 pessoas e apreenderam mais de 18 mil metros cúbicos de madeira.

Também foram aplicados mais de 215 termos de infração, o que resultou em um total de R$ 58 milhões em multas. Os militares também destruíram 17 acampamentos ilegais, apreenderam 70 veículos, 111 embarcações e embargaram mais de 10 mil hectares de terra. “Acho que foi uma resposta rápida [das forças do Estado], pois nunca houve uma operação destas no Brasil. É algo inédito”, avaliou o ministro.

Edição: Lílian Beraldo

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Torcida cruzeirense, em partida Cruzeiro x Grêmio, décima oitava rodada do Brasileirão, em 08.09.2019
Esportes

Cruzeiro estreia na Série B neste sábado contra o Botafogo-SP

Raposa começa competição com seis pontos a menos que os demais clubes da segunda divisão Partida terá início às 19h (horário de Brasília), no Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Apostadores fazem fila em casa lotérica. A Caixa Econômica Federal sorteia hoje (08) as seis dezenas do concurso 2.149 da Mega-Sena acumulada, que deve pagar um prêmio de R$ 170 milhões.
Geral

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 6,5 milhões

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa em todo o país ou pela internet. O volante, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy apresenta o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito, Pnatrans.
Justiça

Gilmar Mendes determina soltura de Alexandre Baldy

Baldy teve a prisão temporária decretada pela primeira instância da Justiça Federal na Operação Dardanários, que apura fraudes em contratações da Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro.

Chuteiras de jogadores em treino
Esportes

Agência Brasil oferece novidade para amantes de esportes

Página tem tabelas das principais competições do planeta, de modalidades como futebol, surfe, automobilismo e e-sports. Vôlei e basquete devem entrar depois, com reinício de torneios.

Geral

Ilha Grande reabre para o turismo no próximo dia 14

Município fluminense só receberá turistas com reservas em hospedagens. Hotéis, pousadas e restaurantes podem ter até 50% da capacidade ocupada.

Fachada da Caixa Econômica Federal
Economia

Caixa abre 770 agências hoje para beneficiários do auxílio emergencial

A Caixa garantiu que todas as pessoas que comparecerem às agências serão atendidas no mesmo dia. A mesma orientação é válida para o atendimento realizado de segunda a sexta-feira.