Morre no Rio a atriz Adelaide Chiozzo, aos 88 anos

Ela trabalhou durante 27 anos na Rádio Nacional, da EBC

Publicado em 04/03/2020 - 13:56 Por Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Morreu hoje (4), aos 88 anos, no Rio de Janeiro, em decorrência de uma pneumonia, a atriz e acordeonista brasileira Adelaide Chiozzo. Ela integrou o elenco de cantoras famosas da Rádio Nacional, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), onde trabalhou por 27 anos.

A cantora participou de vários programas na Rádio Nacional, entre os quais "Alma do Sertão" e "Gente Que Brilha". Foi estrela da empresa Atlântida Cinematográfica, onde atuou em vários filmes em parceria com a atriz Eliana, entre os anos de 1947 e 1975.

Baile da Cinelândia

Em sua página no Facebook, o radialista Osmar Frazão, da Rádio Nacional, se despediu da cantora. “Nossa amada cantora Adelaide Chiozzo parte para o mundo de esplendores. Bonita e cativante no rádio, na música e no cinema nacional. Uma das estrelas do Baile da Cinelândia. Uma saudade boa de sentir!”. Frazão apresenta o programa Histórias do Frazão”, todos os domingos, a partir das 8h, pela Nacional do Rio AM 1130.

De acordo com o Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira, Adelaide fez sua estreia no cinema em 1946, na comédia "Segura esta mulher" ao lado do pai, Afonso Chiozzo. Sua música de maior sucesso foi Beijinho Doce.

Ela nasceu em São Paulo no dia 8 de maio de 1931. Foi casada com o violonista Carlos Matos e teve uma filha, Cristina Chiozzo.

Edição: Kleber Sampaio

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Voltar ao topo da página