Polícia de Minas Gerais aponta racismo como motivo de morte de idoso

Homicídio ocorreu no último dia 31 de maio em Belo Horizonte

Publicado em 10/06/2020 - 11:41 Por Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil - Brasília

A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu que o racismo motivou o assassinato de um homem de 62 anos, em Belo Horizonte, no fim de maio. Após ser detido, o homem acusado de cometer o crime, de 66 anos, admitiu que tinha frequentes desavenças com o vizinho, sempre com provocações de cunho racial.

O crime ocorreu no último dia 31, no Bairro Tirol, em Belo Horizonte. Hoje (10), ao anunciar a conclusão do inquérito, a Polícia Civil informou que o acusado, cujo nome não foi revelado, usou uma faca e um bastão para matar a vítima, Antônio Alves de Freitas.

Após ser autuado por homicídio, o acusado prestou depoimento. Ele contou que, no dia do crime, já tinha discutido mais cedo com a vítima. A confusão inicial ocorreu em um bar e, segundo o delegado Domênico Rocha, teria começado por conta de ofensas raciais desferidas pelo acusado assim que a vítima chegou ao local. O dono do estabelecimento pediu à vítima que se retirasse para evitar que o bate-boca evoluísse para uma briga.

Mais tarde, segundo o delegado, o acusado foi até a casa da vítima, seu vizinho há muitos anos. Ainda do lado de fora, os dois recomeçaram a discussão. Foi então que, segundo a Polícia Civil, o acusado teria atacado a vítima, acertando-lhe uma facada. A vítima ainda tentou escapar, mas seu agressor a alcançou.

“A perícia constatou manchas de sangue da vítima por todo o percurso da rua onde o fato aconteceu, mas o autor a perseguiu obstinadamente por vários metros até que a alcançou e a matou com vários golpes de faca e de um bastão”, narrou o delegado.

Ainda de acordo com Rocha, testemunhas ouvidas no curso da investigação confirmaram que os dois idosos já vinham se desentendendo há algum tempo e que, mais de uma vez, o acusado ofendeu a vítima com xingamentos racistas. Segundo as testemunhas, o acusado manifestava publicamente seu preconceito contra pessoas negras – caso da vítima.

“Pensávamos que se tratava de um desentendimento banal entre vizinhos que evoluiu para uma tragédia, mas tão logo começamos a ouvir testemunhas, ficou bastante claro que a motivação [para o crime] residia na intolerância racial do autor [acusado] para com as pessoas negras”, afirmou Rocha a jornalistas.

Além do homicídio qualificado pelo motivo torpe e pela impossibilidade de defesa da vítima, o suspeito vai responder também pelos crimes de racismo e injúria racial.

Edição: Lílian Beraldo

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Live Jair Bolsonaro 13.08.2020
Política

Bolsonaro: não existe tentativa de furar o teto de gastos

Bolsonaro defendeu a realização de investimentos públicos em áreas sociais e obras de infraestrutura, mas disse que não existe tentativa de "golpe" para "furar o teto".

A partir de hoje (17) estão liberadas as práticas de esportes coletivos como vôlei, futevôlei, beach tennis e futebol nas praias do Rio de Janeiro.
Geral

Senado aprova auxílio de R$ 600 para trabalhadores do esporte

O Senado aprovou hoje um projeto de lei que regulariza o recebimento do auxílio emergencial por funcionários e atletas do setor de esportes.

Edifício sede do Superior Tribunal de Justiça STJ
Justiça

Ministro do STJ revoga prisão domiciliar de Queiroz e esposa

 Fabrício Queiroz é investigado em um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. 

Vista geral da favela Morro Azul, na zona sul do Rio de Janeiro.
Geral

Rio: 1,4 mil mortes por covid-19 foram em favelas, mostra painel

Número se referem às favelas da capital. O estado do Rio de Janeiro registrou 14.080 óbitos desde a chegada do novo coronavírus no Brasil, dos quais 8.612  na capital.

O TSE aumentou o esquema de segurança para acessar o prédio do tribunal neste domingo
Justiça

TSE adia decisão a respeito de tese sobre abuso de poder religioso

Até o momento, os ministros Alexandre de Moraes e Tarcísio de Carvalho Neto votaram contra a medida. Somente o relator, Edson Fachin, defendeu a tese para punição. 

Escola fechada por cinco dias após relatos de coronavírus.
Justiça

TJRJ determina que escolas se preparem para retorno, mesmo em greve

Decisão diz que 70% dos funcionários do administrativo devem retornar ao trabalho presencial, mesmo durante a greve, para prepararem a volta às aulas.