Polícia prende suspeitos de assassinar papiloscopista

Três dos quatro envolvidos são militares da Marinha

Publicado em 16/05/2022 - 08:55 Por Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro
Atualizado em 16/05/2022 - 15:17

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu ontem (15) quatro suspeitos de envolvimento no assassinato de papiloscopista da Polícia Civil Renato Couto de Mendonça, que era lotado no Instituto de Identificação Félix Pacheco (IIFP). Entre os presos, dois são sargentos e um é cabo da Marinha.

Os quatro foram presos em flagrante. O corpo do papiloscopista foi encontrado na manhã de hoje no Rio Guandu, em Japeri, na Baixada Fluminense. A Polícia Civil confirmou sua identidade e informou que a causa da morte foi asfixia mecânica por afogamento.

De acordo com as investigações da Polícia Civil, a vítima teve uma desavença com o dono de um ferro-velho na Praça da Bandeira, zona norte do Rio de Janeiro. O filho do proprietário, que é militar da Marinha, sequestrou o agente com a ajuda de colegas, utilizando uma viatura da Marinha.

Os presos serão autuados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Assista na TV Brasil


Em nota, a Marinha do Brasil informou que tomou conhecimento da ocorrência com uma vítima na noite de sábado (14), envolvendo militares da ativa do Comando do 1º Distrito Naval. Segundo a Marinha, o caso é objeto de inquérito policial no âmbito da Justiça comum.

“Os militares envolvidos foram presos em flagrante pela polícia e responderão pelos seus atos perante a Justiça. A Marinha do Brasil lamenta o ocorrido, se solidariza com os familiares da vítima e reitera seu firme repúdio a condutas e atos ilegais que atentem contra a vida, a honra e os princípios militares”.

A Marinha informou também que está colaborando com as investigações e abriu um inquérito policial militar para apurar as circunstâncias da ocorrência.

Matéria alterada às 15h17 para acrescentar a informação de que o corpo da vítima foi encontrado pela polícia.

Edição: Valéria Aguiar

Últimas notícias