Sebrae Minas desenvolve ações para melhorar qualidade do café

Estado responde por mais da metade (52%) da produção nacional

Publicado em 01/10/2023 - 14:07 Por Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Líder na produção mundial de café, com registro de 53,3 milhões de sacas de 60 quilos (kg) do grão na safra de 2022, o Brasil tem no estado de Minas Gerais seu maior produtor, respondendo por mais da metade (52%) da produção nacional, com 28,3 milhões de sacas no ano passado.

Neste domingo (1º), é celebrado o Dia Internacional do Café. A data foi instituída pela Organização Internacional do Café (OIC) para homenagear a cadeia produtiva do grão em todo mundo.

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Minas Gerais (Sebrae Minas) desenvolve há mais de 20 anos ações voltadas para a melhoria da qualidade do café e valorização do trabalho dos cafeicultores no estado. O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas, Marcelo de Souza e Silva, lembra que o estado tem muitas origens de café reconhecidas e valorizadas pelos consumidores de todas as partes do mundo.

“Sempre em parceria com cafeicultores e lideranças, temos desenvolvido um importante trabalho para tornar as origens produtoras cada vez mais conectadas às exigências e necessidades do mercado, por meio de uma produção mais sustentável e representativa”, afirma.

Os projetos e ações são voltados para a valorização da identidade e origem dos territórios, capacitação gerencial e acesso a novos mercados. Entre essas iniciativas, destaca-se o Educampo. Essa é uma plataforma que conecta produtores, consultores especialistas em gestão e empresas parceiras, que, por meio de geração de inteligência, cria oportunidades e constrói capacidades para promover o desenvolvimento contínuo de toda cadeia do café.

Ministério das Relações Exteriores comemora o Dia Internacional do Café com a entrega do prêmio
Sebrae Minas desenvolve há mais de 20 anos ações voltadas para a melhoria da qualidade do café - Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

Marcelo Silva explicou que o Educampo foi criado a partir de um diagnóstico que apontava a deficiência em gestão como um dos principais desafios no campo. Hoje, com 26 anos de atuação, a iniciativa é referência no mercado. “Não somente pela eficiência nos resultados técnicos e econômicos das propriedades atendidas, mas também por se basear em tecnologias, compartilhamento de informações e em uma base de dados sólida e consistente”, destaca Silva.

Segundo o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas, o Educampo está alinhado a todos pilares da sustentabilidade. Os resultados demonstram a importância da plataforma para impulsionar práticas voltadas para a preservação do meio ambiente, responsabilidade social e transparência empresarial. Segundo Silva, os impactos gerados pela plataforma ultrapassam a ótica gerencial e demonstram que a eficiência do negócio café, em longo prazo, está relacionada diretamente ao desenvolvimento de aspectos sociais, ambientais e de governança.

Valorização

O Sebrae Minas também tem trabalhado na estruturação e valorização das origens de café, apoiando produtores e a governança estabelecida nas regiões. Isso ocorreu nas regiões do Cerrado Mineiro, Matas de Minas, Mantiqueira de Minas, Chapada de Minas e Região Vulcânica, Sudoeste de Minas e Canastra. Todas participam de projetos do Sebrae Minas e estão implantando ações planejadas, entre as quais a estratégia da marca território e a solicitação do reconhecimento da Indicação Geográfica (IG) nas modalidades Denominação de Origem (DO) ou Indicação de Procedência (IP), pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Marcelo Silva sustentou a importância do selo de Indicação Geográfica porque reconhece a autenticidade dos cafés produzidos em determinada região, valoriza a cultura e a tradição local, além de impulsionar o desenvolvimento econômico do território, fortalecer a reputação regional e criar mais um diferencial competitivo para o mercado.

Semana

O Sebrae Minas é um dos realizadores da Semana Internacional do Café (SIC), considerado um dos maiores eventos mundiais do setor, que aproxima elos da cadeia produtiva e gera oportunidades de acesso aos mercados nacional e internacional. A SIC será realizada no período de 8 a 10 de novembro, no Expominas, em Belo Horizonte, e prevê, em sua programação, a realização de palestras, cursos, workshops, competições, provas de café e apresentações de lançamentos de produtos e novas tendências de consumo da bebida.

Agroindústrias

Muitos cafés das principais regiões produtoras do estado também participam do projeto Origem Minas, criado em 2012 pelo Sebrae Minas, em parceria com o Sistema Faemg (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais). A iniciativa prepara pequenos produtores e agroindústrias mineiras para conceberem os melhores produtos do mercado, preservando seu maior diferencial, que é a “mineiridade”. Do mesmo modo, o apoio dado em feiras e eventos estimula as vendas diretas dos participantes do Origem Minas e criam uma aproximação das agroindústrias do café com o varejo, estimulando futuras negociações.

Para atender à demanda crescente por informações sobre o mercado de café, o Sebrae Minas elaborou diversos e-books (livros digitais) que orientam empreendedores interessados em tornar o café o protagonista de seus negócios. Os conteúdos estão disponíveis gratuitamente no Sebrae Play. Entre eles podem ser citados Um Olhar para a Cafeicultura e suas Tendências, Cafeterias de Terceira Onda, Torrefadoras de Cafés Especiais e Café como Oportunidade de Negócios.

Edição: Juliana Andrade

Últimas notícias
Aplicativo FGTS
Economia

Novo sistema FGTS Digital entra em vigor nesta sexta-feira

Portaria foi publicada no Diário Oficial da União. Ao todo, 4,5 milhões de empregadores vão usar a plataforma para gerir dados de mais de 50 milhões de trabalhadores.