Áustria cobra até 840 euros de refugiado que pede asilo ao país

Publicado em 18/04/2018 - 08:44 Por Agência EFE - Viena

O Governo austríaco, formado por democratas-cristãos e ultra-nacionalistas, adotou nesta quarta-feira (18) uma polêmica série de medidas que restringem os direitos dos imigrantes e que contempla cobrar até 840 euros aos solicitantes de asilo para custear os trâmites.

O objetivo é "combater tanto a imigração ilegal como o abuso da condição de asilado", declarou o chanceler federal e líder do Partido Popular Austríaco (ÖVP), Sebastian Kurz, à imprensa em Viena após uma reunião do Conselho de Ministros.

Este projeto de lei ainda deve ser aprovado no Parlamento, onde o Governo conta com uma clara maioria.

Entre outras medidas, estabelece que os refugiados deverão contribuir aos custos do processo de tramitação de asilo com o dinheiro que tenham consigo, até um máximo de 840 euros, informou a televisão pública austríaca ORF.

As autoridades poderão acessar seus telefones para rastrear trajetos e comprovar que os dados facilitados pelos solicitantes de asilo coincidem com os dados sobre as viagens que fizeram até chegar à Áustria.

Trata-se de verificar que não mentiram às autoridades, sobretudo quanto ao primeiro país da União Europeia (UE) ao qual chegaram, já que é ali onde as normativas comunitárias, o regulamento de Dublin, estabelecem que deve ser tramitada a solicitação de asilo.

Se no controle as autoridades descobrirem indícios de alguma atuação delitiva, deverão abrir uma investigação.

Por outro lado, "aqueles refugiados que cometem um delito serão detidos imediatamente em centros especiais e depois retirados do país", afirmou o vice-chanceler e líder do ultradireitista Partido Liberal (FPÖ), Heinz-Christian Strache, que disse que esta medida inclui os imigrantes menores de idade.

O direito a permanecer na Áustria será perdido se a pessoa viajar para seu país de origem após ter chegado à república alpina.

O ministro do Interior, Herbert Kickl, do FPÖ, lembrou que o Governo, surgido das eleições de outubro, assumiu o poder com a intenção de introduzir uma política de asilo o mais restritiva possível.

Em reiteradas ocasiões, Kurz reconheceu que um dos principais objetivos destas e outras medidas é reduzir o atrativo da Áustria como destino para refugiados.

Kickl advogou hoje por trabalhar para que no futuro nenhum refugiado possa solicitar asilo em solo da União Europeia, mas fazer em centros situados em países não-comunitários.

Edição: Valéria Aguiar

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
vacina, Moderna, imagem ilustrativa
Internacional

Argentina e México vão produzir vacina da Oxford

Entrega é prevista a partir da primeira metade de 2021, em função dos resultados dos estudos da Fase 3 de testes e das aprovações regulatórias. Brasil também firmou acordo com a AstraZeneca.

Polícia Civil do Rio de Janeiro.
Direitos Humanos

Rio: operação prende suspeitos de violência contra a mulher

De acordo com a delegada Sandra Ornellas, somente em 2019 as delegacias de atendimento à mulher no Rio indiciaram 16.703 suspeitos de violência doméstica e familiar.

O jogador Guerrero, do Internacional
Esportes

Três jogos fecham segunda rodada da Série A do Brasileirão

São Paulo, Fortaleza, Internacional, Santos, Vasco e Sport entram em campo na noite desta quinta-feira pelo nacional de futebol.

 Escultura do Cristo Redentor na praia de Copacabana.
Saúde

Cristo Redentor passa por desinfecção antes da reabertura no sábado

Até agora, já foram feitas mais de 400 desinfecções em locais públicos como rodoviárias, aeroportos, estações de trens, metrôs e barcas, hospitais e unidades de saúde e asilos.

Presidente russo, Vladimir Putin, visita hospital de Moscou com roupa de proteção
Internacional

Rússia: médicos serão vacinados contra covid-19 em duas semanas

Alexander Gintsburg, diretor do Instituto Gamaleya, produtor da vacina, disse que o país planeja ter capacidade para produzir 5 milhões de doses por mês entre dezembro e janeiro.

Pesquisadores retiram soro de cavalo
Saúde

Soros produzidos por cavalos têm anticorpos potentes para covid-19

O coordenador do projeto, Jerson Lima Silva, da UFRJ, apresenta os resultados da pesquisa hoje (13) à noite, durante simpósio sobre covid-19 na Academia Nacional de Medicina, no Rio.