Adiamento da Olimpíada causa mais um golpe na economia japonesa

Premiê: covid-19 desmonta o que poderia ser ano olímpico triunfante

Publicado em 24/03/2020 - 12:53 Por Daniel Leussink - Repórter da Reuters - Tóquio

O adiamento da Olimpíada é um duro golpe que quase certamente levará à recessão a economia persistentemente fraca do Japão, a terceira maior do mundo.

Para o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, que tenta revitalizar o crescimento por meio de um mix maciço de flexibilização monetária, reformas de governança e do turismo, o surto de coronavírus desmontou o que deveria ter sido um ano olímpico triunfante.

Abe já prometeu um "enorme" estímulo para combater o coronavírus, que envolverá pelo menos US$ 137 bilhões em gastos, disseram fontes à Reuters. Parte disso será financiada por novos empréstimos, apesar da péssima posição fiscal do Japão.

"Agora estamos enfrentando uma situação muito grave", disse Hiroshi Ugai, economista-chefe do JPMorgan Securities Japan, à Reuters.

O JP Morgan estima que o adiamento dos Jogos reduzirá 1,1 trilhão de ienes (US$ 10 bilhões), ou 0,2%, da economia neste ano.

Embora isso possa não parecer muito, ocorre em um contexto em que o coronavírus prejudica o turismo e pressiona as pequenas e médias empresas, levantando a perspectiva de um aumento nas falências.

A pandemia também ameaça frear o consumo.

Depois, há o impacto sobre a confiança das famílias, das empresas e dos investidores - o que pode ser considerável para uma sociedade em envelhecimento que há muito luta, muitas vezes sem sucesso, para escapar da deflação.

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias