Guatemala proíbe entrada de pessoas de El Salvador

País diz que medida foi tomada por precaução e reciprocidade

Publicado em 13/03/2020 - 12:19 Por Marieta Cazarré - Repórter da Agência Brasil - Montevidéu

Guatemala e El Salvador são dois países da América Central sem registros, até o momento, de casos de contaminação pelo novo coronavírus. Ambos fazem fronteira com países que já têm casos confirmados, como Honduras e México, e decidiram tomar medidas extremas contra a propagação de Covid - 19, como a proibição de entrada de cidadãos vizinhos, por exemplo.

Nesta quinta-feira (12), o governo da Guatemala anunciou diversas restrições, entre elas a de entrada de salvadorenhos por via aérea, marítima ou terrestre no país, enquanto dure o estado de calamidade pública, vigente até o dia 5 de abril.

Ouça na Radioagência Nacional

A decisão foi por "prevenção e reciprocidade à decisão do governo salvadorenho", que havia anunciado um dia antes (11) "a proibição de ingresso ao país de todo estrangeiro por 21 dias como medida de prevenção contra a pandemia do novo coronavírus".

Um comunicado emitido hoje pela Direção Geral de Migração de El Salvador pede que as pessoas evitem viajar para o país.

"Todos os salvadorenhos, residentes estrangeiros e diplomatas que entrarem no país serão colocados em quarentena preventiva por 30 dias. Portanto, para os compatriotas que estão no exterior e planejam vir a El Salvador, o mais aconselhável é cancelar ou adiar a viagem para evitar transtornos enquanto a quarentena nacional de 21 dias decretada pelo Presidente Nayib Bukele estiver ativa, devido a pandemia de coronavírus", diz a nota.

Ainda de acordo com o documento, no momento há 350 pessoas em quarentena preventiva. O número deve aumentar bastante, com a chegada de vários voos na noite de hoje.

"Desde que entrou em vigor (a quarentena nacional) e até esta tarde, cerca de 120 pessoas que chegaram ao aeroporto provenientes de vários países, principalmente dos Estados Unidos, decidiram embarcar em outros voos e recusaram a entrada em El Salvador para evitar se submeter à quarentena de 30 dias", afirma a nota.

Guatemala

A Guatemala, por sua vez, anunciou que não permitirá a entrada de pessoas que estiveram ou transitaram em países com grande presença do vírus, como China, Coreia do Sul, Irã e todos os países da Europa, além dos cidadãos de El Salvador.

"Está proibida a entrada de todos os cidadãos europeus. O diretor da Aeronáutica Civil se comunicará com todas as companhias aéreas para indicar que não vamos permitir que nenhum cidadão europeu entre", afirmou o ministro da Saúde, Hugo Monroy.

Já os passageiros provenientes de México, Honduras, Panamá e Costa Rica, países onde há casos confirmados, serão colocados em quarentena automaticamente.

Um comunicado do governo especifica que, "para o corpo diplomático credenciado na Guatemala, bem como para os cidadãos guatemaltecos que viajam desses países e desejam entrar, eles devem cumprir uma quarentena domiciliar, se não apresentarem sintomas, ou quarentena hospitalar, se for considerado caso suspeito". 

El Salvador

El Salvador foi o primeiro país da América Central a declarar quarentena nacional. As medidas tomadas pelo governo são: a suspensão de aulas (de todos os tipos, incluindo esportivas) por 21 dias; fica proibida a aglomeração de mais de 500 pessoas, incluindo shows e partidas de futebol; os estrangeiros não podem ingressar no país, apenas diplomatas; fica decretada quarentena obrigatória de 30 dias para todos aqueles que entrarem no território salvadorenho por qualquer meio. 

"Assim como outros países tomaram medidas depois de ter casos positivos, decidimos colocar em quarentena o território nacional antes de confirmar os casos", afirmou o presidente. 

Plano de Contingência

Belize, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá e República Dominicana firmaram um acordo para formular um plano regional de contingência para o novo coronavírus na América Central. Somente o presidente salvadorenho, Nayib Bukele, não assinou o acordo por razões que não foram explicadas.

Na declaração, intitulada "América Central unida contra o coronavírus", os governantes pediram aos ministros da Saúde da região um plano de contingência regional destinado a complementar os esforços nacionais de prevenção, contenção e tratamento de Covid-19. Além disso, as autoridades devem adotar ações para garantir o fornecimento de medicamentos e outros materiais necessários para o tratamento da pandemia.

Os ministros da Economia foram orientados a tomarem medidas para garantir a disponibilidade de recursos para o financiamento do plano de contingência.

Edição: Aline Leal

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias