Mike Pompeo encontrará venezuelanos em Boa Vista na sexta-feira

Secretário de Estado dos EUA também irá a Guiana, Colômbia e Suriname

Publicado em 15/09/2020 - 19:13 Por Humeyra Pamuk e Anthony Boadle - Repórteres da Reuters - Washington

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, visitará Boa Vista na sexta-feira (18) para se reunir com imigrantes venezuelanos em Roraima, disseram autoridades do Brasil e dos Estados Unidos nesta terça-feira (15), no momento em que o governo dos Estados Unidos da América (EUA) aumenta a pressão para derrubar o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

A viagem de 17 a 20 de setembro também levará Pompeo a outros vizinhos da Venezuela, como Colômbia, Suriname e Guiana, para encontrar os líderes destes países, informou o Departamento de Estado norte-americano.

As visitas ocorrem em um momento em que os esforços internacionais para promover uma mudança democrática na Venezuela parecem ter estagnado e Maduro sustentou seu controle no poder, apesar da turbulência política e econômica na Venezuela que levou 5 milhões de venezuelanos a fugir do país.

A viagem vai "destacar o compromisso dos Estados Unidos em defender a democracia", disse o Departamento de Estado. Em Boa Vista, Pompeo visitará "imigrantes venezuelanos que fugiram do desastre causado pelo homem na Venezuela", acrescentou o departamento em um comunicado.

Boa Vista

Pompeo fará uma parada de 3 horas e 20 minutos na capital de Roraima na tarde de sexta-feira para visitar um centro de triagem para receber imigrantes venezuelanos e se reunir com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, segundo informou o Itamaraty.

A fronteira brasileira com a Venezuela está fechada desde 18 de março devido à pandemia de coronavírus, e o fluxo de imigrantes que chega ao Brasil caiu de uma média de 600 por dia para poucos venezuelanos que fazem trilhas para entrar no país.

As sanções dos EUA contra a indústria petrolífera da Venezuela reduziram as exportações de petróleo venezuelanas ao nível mais baixo em décadas, mas não conseguiram afrouxar o controle de Maduro no poder - algo que frustrou o presidente dos EUA, Donald Trump.

Com a aproximação das eleições presidenciais de novembro nos EUA, o governo Trump se prepara para endurecer sua posição, especialmente com mais sanções contra as indústrias de petróleo e ouro da Venezuela.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias