Ucrânia relata um dos maiores ataques de mísseis da Rússia na guerra

Ofensiva deixou 31 pessoas mortas e 120 feridas

Publicado em 29/12/2023 - 15:57 Por Yuliia Dysa e Tom Balmforth - Reuters - Kiev 

A Rússia realizou nesta sexta-feira (29) um de seus maiores ataques com mísseis na guerra contra a Ucrânia, matando 31 civis, ferindo mais de 120 e atingindo edifícios residenciais em Kiev, no sul e no oeste do país, e uma maternidade no leste, segundo autoridades.

A Polônia, membro da Otan, disse que um míssil russo pareceu ter voado em seu espaço aéreo por cerca de 40 quilômetros antes de retornar à Ucrânia três minutos depois. Não houve comentários imediatos de Moscou e a Otan afirmou que permanece “vigilante”.

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia disse que o vasto ataque aéreo de fim de ano mostrou que “não deve haver conversa sobre trégua” com o Kremlin num momento em que paira incerteza sobre o futuro do apoio ocidental vital a Kiev.

"Hoje, milhões de ucranianos acordaram com o som alto de explosões. Gostaria que esses sons de explosões na Ucrânia pudessem ser ouvidos em todo o mundo", disse o ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba, pedindo que os aliados de Kiev intensifiquem seu apoio.

Na capital Kiev, pelo menos nove pessoas foram mortas e 30 ficaram feridas depois que edifícios residenciais e outras propriedades desabitadas foram atingidos, disseram autoridades.

A Força Aérea afirmou ter abatido 87 mísseis de cruzeiro e 27 drones de um total de 158 disparos aéreos pela Rússia.

O chefe do Exército, general Valeriy Zaluzhnyi, disse que o ataque teve como alvo infraestruturas vitais e instalações industriais e militares.

"A Rússia atacou com tudo o que tem em seu arsenal... Aproximadamente 110 mísseis foram disparados, a maioria foi abatida", afirmou o presidente Volodymyr Zelenskiy no Telegram.

A Ucrânia vem alertando há semanas que a Rússia poderia estar estocando mísseis para lançar um grande ataque aéreo contra o sistema de energia. No inverno passado, milhões de pessoas ficaram na escuridão quando os ataques russos atingiram a rede elétrica.

O Ministério das Relações Exteriores disse que o ataque de sexta-feira foi “um dos maiores ataques com mísseis contra cidades e vilas ucranianas” desde que a Rússia lançou sua invasão em fevereiro de 2022.

O gabinete presidencial estimou o número de mortos em 26, mas declarações de várias regiões indicaram que pelo menos 31 pessoas foram mortas.

Enquanto as equipes de resgate vasculhavam os escombros de um ataque que atingiu uma casa na cidade de Zaporizhzhia, no sudeste, Viktor Chuhunov, de 73 anos, disse à Reuters que estava em casa quando de repente ouviu uma forte explosão.

“Uma mulher morreu aqui. Não sei se o filho dela estava em casa, talvez ele estivesse no trabalho”, afirmou ele sobre a casa em ruínas.

Oito pessoas morreram e 13 ficaram feridas na região de Zaporizhzhia, disse o governador. Instalações de infraestrutura civil também foram atingidas, segundo ele.

Seis pessoas foram mortas na região central de Dnipropetrovsk, onde os mísseis atingiram um shopping center, uma casa e um prédio residencial de seis andares, disse o governador. O ataque também causou um incêndio em uma maternidade, acrescentou ele.

Quatro pessoas morreram na cidade portuária de Odessa, no Mar Negro, e pelo menos 22 ficaram feridas, incluindo duas crianças, quando os mísseis atingiram prédios residenciais, informou o governador da região.

Uma pessoa foi morta em um prédio residencial de vários andares danificado na cidade de Lviv, disse o governador regional. Três escolas e um jardim de infância também foram danificados, de acordo com o prefeito.

Na cidade de Kharkiv, no nordeste do país, um ataque de míssil danificou um depósito, uma instalação industrial, uma instalação médica e um depósito de transporte, informou o governador regional. Três pessoas foram mortas e outras 13 ficaram feridas.

*É proibida a reprodução deste conteúdo.

Últimas notícias