Deputados Picciani e Paulo Melo são alvo de nova ação judicial do MPRJ

Publicado em 17/01/2019 - 20:13 Por Léo Rodrigues - Repórter da Agência Brasil - ´Rio de Janeiro

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) anunciou hoje (17) que ajuizou mais uma ação civil pública por improbidade administrativa contra os deputados estaduais Jorge Picciani e Paulo Melo, ambos do MDB. Eles são acusados de receber propina da Odebrecht em troca de apoio político aos interesses econômicos da empreiteira.

Picciani e Melo já são réus em outro processo movido em março do ano passado e estão presos preventivamente desde 2017 em decorrência da Operação Cadeia Velha, um dos desdobramentos da Operação Lava Jato. Picciani está em prisão domiciliar e Paulo Melo está no Complexo Penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro - O presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, Jorge Picciani, devolve para o governo estadual medidas que constavam no pacote de ajuste fiscal (Tânia Rêgo/Agência Brasil)
O deputado Jorge Picciani presidiu a Alerj  de 2003 a 2010  - Tânia Rêgo/Arquivo/Agência Brasil

De acordo com o MPRJ, a propina da Odebrecht foi paga durante o período em que os dois deputados se revezaram no cargo de presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). O posto foi ocupado por Picciani de 2003 a 2010 e por Paulo Melo, de 2011 a 2014. Picciani voltou à presidência em 2015 e ficou até 2017, quando foi afastado das funções legislativas por ocasião da Operação Cadeia Velha.

Picciani é acusado de receber R$ 11,15 milhões entre agosto de 2008 e setembro de 2014. Em troca, ele teria atuado para modificar o Projeto de Lei 153/2015, como desejava a Odebrecht. Aprovado, o projeto foi convertido na Lei Estadual 6.979/2015 que contém normas tributárias aplicadas a estabelecimentos industriais sediados no Rio de Janeiro.

No caso de Paulo Melo, o MPRJ diz que este recebeu da empreiteira R$ 1,4 milhão. Conforme a denúncia, o pagamento foi feito para que o deputado facilitasse o relacionamento entre a Odebrecht e o Executivo estadual, na época comandado por Sérgio Cabral. Segundo o MPRJ, a ação de Melo tinha o objetivo de assegurar o direcionamento de contratos e licitações estaduais decorrentes das obras para Copa do Mundo de 2014 e para os Jogos Olímpicos de 2016. 

Na ação, o Ministério Público também acusa de envolvimento nas práticas ilícitas Jorge Luiz Ribeiro, apontado como operador de Picciani, e Andreia Cardoso do Nascimento, ex-secretária de Paulo Melo. Além da condenação dos quatro, é pedida a concessão de liminar para decretar a indisponibilidade de bens móveis e imóveis e o bloqueio nas contas bancárias dos valores recebidos acrescidos de três vezes a mesma quantia.

Segunda ação

Este é a segunda ação movida contra Picciani nesta semana. Na terça-feira (15), ele já havia sido acusado pelo MPRJ de improbidade administrativa junto com o ex-governador Sérgio Cabral. Esse processo teve como base acordo de leniência firmado pela empreiteira Carioca Christiani-Nielsen Engenharia com o Ministério Público Federal, no qual foram revelados detalhes de um esquema de corrupção por meio de fraude em licitações e execuções de obras públicas. 

O mandato dos deputados estaduais Jorge Picciani e Paulo Melo encerra-se no próximo mês, quando tomam posse os parlamentares que venceram as eleições de outubro do ano passado. 

Edição: Nádia Franco

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

PF fecha dois bingos clandestinos no centro do Rio de Janeiro

Em um dos endereços, localizado na zona portuária, foram apreendidas 30 máquinas caça níqueis. Em outro local, na Cinelândia, foram apreendidas outras 24 máquinas.

O presidente Jair Bolsonaro fala à imprensa no Palácio da Alvorada
Política

Bolsonaro, Maia e Alcolumbre defendem teto de gastos em pronunciamento

"Resolvemos, então, com essa reunião, direcionar mais ainda nossas forças para o bem comum daquilo que todos nós defendemos", disse o presidente Jair Bolsonaro.

Governo do DF suspende aulas para evitar ampliação de casos do novo corona vírus.
Justiça

Justiça mantém suspensão de aulas presenciais na rede privada do DF

Com a decisão, o retorno continua proibido até o julgamento de uma ação civil pública que está em tramitação na 6ª Vara do Trabalho de Brasília. As aulas estão suspensas desde 11 de março. 

 

Sessão temática no Senado sobre a Petrobras
Justiça

José Serra: Lava Jato pede que Justiça retome tramitação de ação

A ação foi suspensa, no final de julho, pela 6ª Vara Criminal Federal após uma liminar do STF ter determinado a paralisação das investigações contra o senador e sua filha. 

Fase 5 da flexibilização no Rio de Janeiro libera vendedores ambulantes nas praias
Saúde

Crivella diz que fará consulta à população sobre agendamento em praias

O objetivo do agendamento é evitar aglomerações nas areias, começando pela praia de Copacabana.  Prefeitura quer saber avaliação da população sobre iniciativa.

Lanchonetes, bares e restaurantes do Rio de Janeiro reabrem  com restrição de horário, lotação e distância entre mesas.
Saúde

Rio de Janeiro registra 83 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas

Total de óbitos causados pelo novo coronavírus no estado chega a 14.295. Há ainda 1.061 mortes em investigação e 185.610 casos confirmados.