Senadores cobram convocação de presidente do TCU

Publicado em 11/08/2015 - 15:15 Por Karine Melo – Repórter da Agência Brasil - Brasília

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) cobrou nesta terça-feira (11) do presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), a convocação do presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Aroldo Cedraz, para discutir irregularidades no repasse de recursos do Tesouro a bancos públicos.

Cedraz havia sido convidado, em julho, para discutir o tema na comissão, mas informou, por meio de ofício, que não compareceria porque, antes de ir ao Senado, gostaria de receber as respostas do governo sobre o assunto, o que aconteceu dias depois. A ausência de Cedraz incomodou parte dos senadores da comissão, que no mesmo dia aprovaram a convocação do presidente do TCU.

"Não cabe ao presidente do Tribunal de Contas julgar o momento adequado para vir ao Senado, porquanto o Tribunal de Contas é um órgão auxiliar desta Casa. E nós decidimos, naquele dia, pela convocação do presidente a esta Casa, e eu gostaria de reiterar que esta convocação seja feita o mais rapidamente possível", disse Jereissati.

Sem definir data, Delcídio do Amaral respondeu que marcará a vinda o mais breve possível. "Sendo o TCU um órgão de fiscalização e controle a serviço do Congresso, com certeza, ao longo desta semana, eu já posicionarei Vossas Excelências com relação a esta audiência pública, que é absolutamente fundamental para fazer essa discussão", afirmou.

Além de apoiar o pedido de Jereissati, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) pediu que o procurador do Ministério Público junto ao TCU, Júlio Marcelo de Oliveira, também seja ouvido.  Assim como Cedraz, o procurador já tinha sido convidado, mas justificou a ausência por estar em férias. Ferraço lembrou que o procurador mandou um oficio à Comissão de Assuntos Econômicos colocando-se à disposição dos senadores.

No mesmo dia em que estava prevista a ida de Cedraz, a CAE ouviu o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, e o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, também convidados a falar sobre os procedimentos contábeis do Executivo.

Edição: Maria Claudia

Últimas notícias