Nardes diz que viveu dias de muito tormento com relatoria das contas do governo

Publicado em 07/10/2015 - 23:17 Por Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Brasília - O relator do processo de análise das contas de 2014 do governo, ministro Augusto Nardes, durante sessão no plenário do tribunal (Valter Campanato/Agência Brasil)

O relator do processo de análise das contas de 2014 do governo, ministro Augusto Nardes, disse que os últimos dias foram de "muito tormento"Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes, disse hoje (7) que a relatoria das contas de 2014 do governo federal lhe trouxe “muito tormento”. Nardes, que recomendou a rejeição das contas  e foi seguido por todos os ministros em seu voto, lembrou que recebeu ameaças e passou a andar com seguranças

“Nos últimos dias tive que me locomover com seguranças do TCU. Foi um momento de muito tormento para mim. Recebi e-mails de ameaças, a assessoria recebeu telefonemas muito contundentes de ameaças, dizendo que acabariam comigo”, disse o ministro em entrevista coletiva no TCU.

Ele lembrou o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, que se aposentou do em julho do ano passado, dez anos antes da idade limite de 70 anos para a aposentadoria compulsória. “Agora eu entendo porque o Joaquim Barbosa se aposentou. O momento é muito tenso e recebe-se uma pressão muito forte”.

Os últimos dias na vida de Nardes foram ainda mais intensos, após a Advocacia-Geral da União (AGU) pedir seu afastamento da relatoria do processo. O argumento era que Nardes havia manifestado seu voto publicamente antes da sessão ocorrida hoje, o que feria o direito ao contraditório.

O advogado-geral da União e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, acusaram o ministro de “politizar” o processo. Após Adams ir ao TCU entregar o pedido se afastamento de Nardes, o ministro divulgou nota acusando o governo de tentar intimidá-lo .

Ao entrar no plenário para a sessão de apreciação das contas, Nardes foi aplaudido por uma plateia que incluía parlamentares de oposição. Ao final da sessão, um grupo de manifestantes contra o governo disparou fogos em comemoração. “Agora me sinto aliviado. Espero que possamos voltar à vida normal”, disse Nardes.

Edição: Jorge Wamburg

Últimas notícias