Defensoria Pública e Conectas denunciam violência na Cracolândia em SP

Publicado em 19/05/2022 - 23:27 Por Beatriz Arcoverde* - Editora da Radioagência Nacional - Brasília

A Defensoria Pública de São Paulo e a organização não-governamental Conectas Direitos Humanos encaminharam nesta semana à Comissão Interamericana de Direitos Humanos um pedido de proteção para a população em situação de rua e de usuários de drogas que vive na chamada Cracolândia, na capital paulista.

As entidades solicitam que a à Comissão Interamericana de Direitos Humanos intervenha junto ao governo estadual paulista para evitar novas ações policiais violentas na Cracolândia.

O pedido cautelar ocorre após a morte de Raimundo Nonato Fonseca Junior, de 32 anos, que foi baleado logo após uma operação policial  realizada no dia 11 de maio, na Praça Princesa Isabel, na região central da capital.

Segundo os policiais, a ação foi deflagrada para combater o tráfico de drogas, mas especialistas e movimentos sociais que atuam na região criticaram a operação, dizendo que ela não resolve o problema e só atende a interesses econômicos.

O documento encaminhado à Comissão Interamericana pede que o Estado proteja e assegure os direitos dessa população mais vulnerável que vem sendo deslocada de forma forçada pelo poder público

Esse pedido é um complemento a uma outra solicitação feita no ano passado pelas duas instituições e em que denunciaram o despejo de quase 400 famílias que viviam na antiga região da Cracolândia, na Luz, em São Paulo.

Por ser signatário da Convenção Americana de Direitos Humanos, o Brasil é sujeito à jurisdição da Corte Interamericana de Direitos Humanos.

Na semana passada, o Ministério Público de São Paulo instaurou um inquérito para apurar as ações policiais violentas na Cracolândia. Mas, no final da tarde desta quinta-feira, uma nova operação policial foi deflagrada na região central da capital paulista. Segundo a Polícia Civil, se trata de mais uma etapa da Operação Caronte e da Operação Sufoco para combater o tráfico de drogas.

Com a grande operação policial realizada na Praça Princesa Isabel, as centenas de pessoas que formam a Cracolândia se dispersaram pelas ruas da região central da capital paulista. Policiais e guardas civis metropolitanos têm acompanhado os grupos de pessoas em situação de rua e buscam dispersá-los, fazendo com que as aglomerações estejam em constante deslocamento pelas ruas do centro.

*Com informações da Agência Brasil

Edição: Agência Brasil

Últimas notícias
Economia

Doação de pessoa para campanha via PIX só pode ser feita pelo CPF

A decisão por unanimidade foi do plenário do Tribunal Superior Eleitoral na sessão desta sexta-feira.

Baixar arquivo
Saúde

Novos casos de Varíola dos Macacos foram confirmados no Rio de Janeiro

Com isso subiu para treze o número de notificações oficiais, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde.

Baixar arquivo
Internacional

Terremoto de magnitude 6,0 deixa pelo menos cinco mortos no Irã

O Irã está localizado à beira de várias placas tectônicas e é atravessado por falhas. O que faz o país ter uma alta atividade sísmica.

Baixar arquivo
Cultura

Cem anos do rádio no Brasil: os programas de calouros

O primeiro programa de calouros do rádio brasileiro, A Hora dos Calouros, foi criado na Rádio Cruzeiro do Sul, em São Paulo. Os concursos faziam as audiências aumentarem consideravelmente e, junto com elas, as verbas publicitárias.

Baixar arquivo
Saúde

Biomédicos estão autorizados a prescrever suplementos alimentares

Três categorias de biomédicos estão autorizados a prescrever suplementos alimentares: os profissionais habilitados em Acupuntura, Biomedicina Estética ou em Fisiologia do Esporte e da Prática do Exercício Físico. Antes, apenas médicos, nutricionistas e farmacêuticos tinham liberação para indicar esses produtos.

Baixar arquivo