Conselheiros da Petrobras que representam a União decidem deixar cargo

Quatro dos 11 conselheiros de administração comunicaram a saída

Publicado em 03/03/2021 - 12:47 Por Tâmara Freire - Rio de Janeiro

Em meio ao processo da troca do presidente da Petrobras, quatro dos 11 conselheiros de administração decidiram deixar a companhia. Eles são representantes do sócio controlador, ou seja, da União, e preferiram não ser reconduzidos ao cargo, apesar da continuidade ter sido proposta pelo Ministério de Minas e Energia.

Apenas um dos conselheiros deixou explícito que a sua saída se deve às alterações na administração da estatal, com a substituição do atual presidente Roberto Castelo Branco pelo general do Exército Joaquim Silva e Luna.

Omar Carneio da Cunha, ex-presidente da Shell no Brasil, afirmou em um comunicado ao Conselho que a mudança, embora amparada nos preceitos societários, não se coaduna com as melhores práticas de gestão. Disse ainda que sua contribuição à empresa seria fortemente afetada, e sua efetividade reduzida.

Já os conselheiros João Cox Neto e Nivio Ziviani alegaram razões pessoas para não aceitar a recondução, apesar de agradecer o convite.

O quarto membro do colegiado que decidiu se afastar da companhia é o ex-presidente da Embraer Paulo Cesar de Souza e Silva, que apenas pediu para não ser reconduzido e aproveitou seu comunicado para registrar seu respeito e reconhecimento pelo trabalho da Diretoria Executiva, dos funcionários da Petrobras e de seus colegas.

Com a saída, a União vai precisar apontar outros quatro nomes para o conselho, que serão apreciados na mesma Assembleia Geral Extraordinária convocada para a eleição de Silva e Luna, indicado pelo Planalto para dirigir a companhia.

O mandato do atual presidente, Roberto Castelo Branco, se encerra no próximo dia 20 de março, mas a Petrobras ainda não definiu quando ocorrerá a Assembleia.

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Meio Ambiente

Ilhas Cagarras ganha título de ponto de esperança para os oceanos

As Ilhas Cagarras e Águas do Entorno, no Rio de Janeiro, ganharam o título de Hope Spot, ou Ponto de Esperança para os oceanos no litoral do Brasil. Esse é o segundo Hope Spot do país, nomeado pela Mission Blue, uma organização internacional que apoia ações de preservação marinha.

Baixar arquivo
Justiça

Justiça suspende decretos da Prefeitura do Rio com medidas restritivas

Justiça do Rio de Janeiro suspendeu decretos que estabeleciam medidas restritivas contra a Covid-19  na capital fluminense. A  juíza Regina Lucia Chuquer, da 6ª Vara de Fazenda Pública, concedeu liminar em ação popular proposta pelo deputado estadual Anderson Moraes, do PSL.

Baixar arquivo
Economia

Governo e parlamento entram em acordo para Lei Orçamentária de 2021

A Lei Orçamentária de 2021 vai entrar em vigor nos próximos dias, com quase quatro meses de atraso. Um acordo entre o governo e parlamentares resultou na aprovação de um projeto de lei no Congresso Nacional que abre caminho para mudanças.

Baixar arquivo
Economia

União arrecada em março mais de 137 bilhões em tributos

É o maior valor da série histórica, que começou em 1994, e representa aumento real de 18% em relação a março do ano passado.

Baixar arquivo
Geral

Câmara aprova urgência para proposta que privatiza os Correios

A Câmara dos Deputados aprovou nessa terça, 20, a tramitação de urgência para a proposta que privatiza os Correios. Na prática, o pedido de urgência acelera a tramitação do projeto de lei que privatiza a empresa, que agora pode ser votado diretamente pelo plenário. Nesse caso, ficam dispensadas as audiências públicas e os debates nas Comissões.

Baixar arquivo
Saúde

SP vai vacinar pessoas com comorbidades e trabalhadores do transporte

São Paulo antecipa vacinação de pessoas com comorbidades e trabalhadores do transporte público com mais de 47 anos. A promessa é de vacinar pessoas com síndrome de down, transplantados e pacientes renais que fazem diálise.

Baixar arquivo