Pagamento do 13º salário injetará R$ 232 bilhões na economia

Cerca de 83 milhões de brasileiros devem receber o direito trabalhista

Publicado em 15/11/2021 - 08:08 Por Sayonara Moreno - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

Cerca de R$ 232 bilhões. Esse é o montante que deve ser injetado na economia brasileira, até dezembro, com o pagamento do 13º salário.

A estimativa do Dieese, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, leva em conta o pagamento a cerca de 83 milhões de brasileiros que têm direito ao 13º.

O valor a ser incorporado na economia corresponde a cerca de 2,7% do PIB brasileiro, o Produto Interno Bruto, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

A média dos salários, segundo cálculo do departamento, passa dos R$ 2.500, por trabalhador. Mas a maior média do 13º está no Distrito Federal, que passa dos R$ 4.500. Já no Maranhão, o benefício não chega a R$ 1.700.

Dos R$ 232 bilhões a serem injetados na economia, quase metade deve ser pago na região Sudeste. Segundo o Dieese, é onde está a “maior capacidade econômica do país e onde se concentra a maioria dos empregos formais, aposentados e pensionistas”. A região Norte responde por apenas 4,7% do montante total.

Se analisado por setor, mais de 60% do valor total corresponde ao pagamento dos trabalhadores de serviços, incluindo os servidores públicos. Em seguida vem os trabalhadores da indústria, depois do comércio, e a construção civil com parcela igual à dos trabalhadores da agropecuária.

Segundo o Dieese, o cálculo não leva em conta os trabalhadores autônomos, os assalariados sem carteira de trabalho assinada, nem aqueles que recebem outro tipo de abono de fim de ano. Isso porque não há dados oficiais.

O estudo ainda mostra que, dos cerca de 83 milhões de brasileiros que devem receber o 13º salário, mais de 60% são de trabalhadores do mercado formal, incluindo trabalhadores domésticos com carteira de trabalho assinada. Os outros quarenta por cento são de aposentados e pensionistas do INSS, e os aposentados e beneficiários da União, dos estados e dos municípios.

Edição: Paula de Castro Ribeiro / Guilherme Strozi

Últimas notícias
Saúde

Brasil registra mais de 45 mil casos de covid-19 entre 11/02 e 17/02

Quase 200 pessoas morreram por causa da doença este ano, de acordo com o Ministério da Saúde. A recomendação é manter a vacinação em dia e usar máscaras, sobretudo quem faz parte dos grupos de risco

Baixar arquivo
Internacional

Guterres afirma que falta de ação enfraquece Conselho de Segurança

O secretário-geral das Nações Unidas, Antônio Guterres, falou na abertura da sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra. Ele lembrou que o Conselho de Segurança vive um impasse tendo sido incapaz de agir nas questões de paz e segurança mais significativas do nosso tempo.

Baixar arquivo
Economia

Dívida Pública diminui em janeiro em relação a dezembro de 2023

A informação foi divulgada nesta segunda-feira (26) pelo Tesouro Nacional, ligado Ministério da Fazenda. A Dívida Pública Federal ficou em R$ 6,450 trilhões, incluídos os débitos do governo no Brasil e no exterior.

Baixar arquivo
Política

PF deve incluir trechos de discurso de Bolsonaro em investigação

Em ato na Paulista, o ex-presidente admitiu a existência de uma minuta de texto que daria sustentação ao golpe de estado, com a decretação de estado de sítio, prisão de parlamentares e de ministros do Supremo Tribunal Federal

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Acre decreta situação de emergência por causa de enchentes

A elevação dos níveis dos rios e igarapés provocou as inundações na região. Na capital, o Rio Acre ultrapassou a cota de transbordamento e chegou a 15,92 metros. 

Baixar arquivo
Economia

Apesar da queda da Selic, bancos mantêm juros de empréstimos

Quatro dos maiores bancos do Brasil não mexeram nos juros cobrados em empréstimos pessoais entre janeiro e fevereiro. Essa informação é do Procon de São Paulo, que fez uma pesquisa com os seis principais bancos do país.

Baixar arquivo