MPF apresenta nova denúncia contra Wilson Witzel

Governador reafirma sua idoneidade e que patrimônio é fruto de trabalh

Publicado em 15/09/2020 - 11:17 Por Fabiana Sampaio - Rio de Janeiro

O Ministério Público Federal apresentou nova denúncia contra o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, do PSC, por organização criminosa.

A subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, que assina a peça, afirma na denúncia que o grupo atuou nos mesmos moldes de organizações criminosas que envolveram os últimos dois ex-governadores do estado, com a estruturação e divisão de tarefas em quatro núcleos: econômico, administrativo, financeiro e político. Além de Witzel, também foram denunciados a primeira-dama do estado Helena Witzel, o presidente do PSC, Pastor Everaldo e outras sete pessoas.

A subprocuradora afirma que a compreensão do funcionamento do esquema criminoso foi possível graças às investigações iniciadas com a Operação Favorito, que resultou na prisão do empresário Mário Peixoto e de seus operadores financeiros.

Lindôra Araujo afirma que, na área da saúde, o grupo instituiu uma espécie de ‘caixinha’ para pagamentos de vantagens indevidas aos agentes públicos da organização criminosa, principalmente por meio do direcionamento de contratações de organizações sociais e na cobrança de um ‘pedágio’ sobre a destinação de restos a pagar aos fornecedores”.

E que somente com esse esquema ilícito, o grupo queria arrecadar quase R$ 400 milhões de valores, ao final de quatro anos, com a cobrança de 5% de propina de todos os contratos.

Ainda de acordo com a denúncia, o governador afastado teve participação ativa em todos os fatos narrados, loteando os recursos públicos em prol da organização criminosa, recebendo vantagem ilícita e lavando dinheiro a partir do escritório de advocacia da primeira-dama.

A denúncia afirma também que o grupo teria iniciado as atividades em 2017, com a cooptação de Witzel para concorrer ao governo e que ele teria recebido, ainda quando era juiz federal, quase R$ 1 milhão.

Witzel se manifestou em uma postagem na sua conta no Twitter. No texto ele reafirma sua idoneidade e que seu patrimônio, uma casa no Grajaú, na zona norte do Rio, é fruto do seu trabalho.

Até o fechamento da matéria, a reportagem não conseguiu contato com as defesas dos demais citados na ação.

Edição: Lana Cristina

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

Governo do Distrito Federal lança dois programas de inclusão social

O Conecta Mais vai distribuir, de graça, 20 mil chips com internet de alta velocidade e com pacote de dados. O DF Acessível disponibilizará 50 vans adaptadas para transportar usuários com deficiência e mobilidade reduzida para suas atividades cotidianas.

Baixar arquivo
Esportes

Atleta indígena disputa Sul-Americano Sub-18 de atletismo pelo Brasil

Yuri é estudante da Escola Municipal Polo Indígena Mbo'eroy Guarani Kaiowá, na cidade de Amambaí, no Mato Grosso do Sul. Campeão brasileiro sub-20 e vice-campeão no sub-18, ele será um dos representantes do Brasil na prova do lançamento do dardo.

Baixar arquivo
Esportes

São Paulo e América (MG) ficam no 0 a 0 pelo Brasileirão

O tricolor paulista segue na 12ª posição com 26 pontos. Já o América Mineiro deixou a zona de rebaixamento do campeonato e chegou a 23 pontos na competição.

Baixar arquivo
Esportes

CPB confirma realização do Festival Paralímpico para dezembro

Evento leva modalidades paralímpicas a jovens com e sem deficiência

Baixar arquivo
Saúde

Nove a cada dez brasileiros já se vacinaram ou pretendem se vacinar

É isso o que mostra um estudo com 173 mil pessoas, conduzido pelo Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, da Fundação Oswaldo Cruz.

Baixar arquivo
Saúde

Amazonas registra 78 casos suspeitos da doença da urina preta

A doença é causada por uma toxina encontrada em alguns peixes como tambaqui  e crustáceos como lagosta e camarão, quando não são guardados na temperatura correta.

Baixar arquivo