Governo federal destina recursos para combate a incêndios no Pantanal

Portaria publicada hoje prevê R$ 3,8 milhões para o Mato Grosso do Sul

Publicado em 16/09/2020 - 15:48 Por Priscilla Mazenotti - Brasília

Serão então R$ 3,8 milhões para ajudar no combate aos incêndios florestais no Mato Grosso do Sul, especialmente na região do Pantanal. São 79 municípios que vêm sofrendo bastante com essas queimadas, principalmente por causa da seca na região.

A portaria do Ministério do Desenvolvimento Regional liberando esses recursos já está publicada na edição desta quarta-feira (16) do Diário Oficial.

O ministro Rogério Marinho esteve ontem (15) no Mato Grosso do Sul, junto com a ministra da Agricultura Tereza Cristina, para conversar com o governador Reinaldo Azambuja, pra ver como está a situação e fazer uma avaliação.

Para a Rádio Nacional, ele explicou que tanto esses recursos de agora, quanto mais recursos que deverão ser liberados numa segunda etapa, nos próximos dias, deverão ser usado para as ações de combate ao fogo, locação de helicópteros e demais equipamentos, pagamento de brigadistas e abertura de aceiros, que são aquelas faixas de terra, sem vegetação que impedem o avanço do fogo.

Na conversa de ontem, o governador lembrou também que os fazendeiros da região precisam ter cuidado para evitar novos focos de incêndio já que essa é a maior seca dos últimos 50 anos, segundo ele.E deu como exemplo, uma das queimadas que atingiu 100 hectares de eucaliptos e que começou por causa de um pequeno cisco no fundo de uma chácara na região de Campo Grande.

Os incêndios também ameaçam importantes sítios arqueológicos existentes no Parque Estadual Nascentes do Rio Taquari. Desde o início da semana, o fogo já tinha destruído 9 mil hectares de vegetação típica do Cerrado.

Os dados do Inpe mostram que há meses o fogo vem atingindo o Pantanal. Foram registrados 14.489 focos de incêndio na região, entre janeiro e domingo agora, dia 13. Enquanto que no ano passado, foram quase 4.700.

Além disso, há o problema do nível dos rios. Os cursos d'água estão secando, logo devem atingir os menores níveis nos últimos cinco anos, segundo especialistas, e as pessoas estão tendo de conviver com uma intensa nuvem de fumaça encobrindo a paisagem.

O fato é que a situação de emergência na região está decretada desde a segunda-feira (14), o que agiliza a liberação de recursos. A situação lá é tão intensa que o Paraná e Santa Catarina enviaram bombeiros para ajudar no trabalho de combate ao fogo. Além disso, brigadistas do Ibama, do ICMBio e militares das Forças Armadas estão dando apoio.

A torcida agora, é pela chuva na região, o que, segundo o Centro Estadual de Monitoramento do Tempo e do Clima, não deve ocorrer até o fim da semana.

 

Edição: Lana Cristina

Últimas notícias
Política

Governo estuda propor PEC para reduzir preços de combustíveis

Com a mudança constitucional, o governo não seria obrigado a compensar a redução dos impostos sobre combustíveis com a elevação de outros tributos, como determina a Lei de Responsabilidade Fiscal. 

Baixar arquivo
Educação

Enem 2022 vai ocorrer dias 13 e 20 de novembro

As provas do ENEM 2022 - o Exame Nacional do Ensino Médio - devem acontecer nos dias 13 e 20 de novembro.

Baixar arquivo
Economia

Paulo Guedes diz que PIB deve crescer em 2022

A declaração do ministro foi feita durante a participação dele no Fórum Econômico Mundial, que acontece em Genebra, na Suíça, no painel sobre as Perspectivas Econômicas Globais.

Baixar arquivo
Esportes

Desafio do técnico do Cortinthias é armar meio-campo

Sylvinho descarta Paulinho como 1º volante e vê pressão como natural. Técnico do Corinthians crê que protagonistas do time podem atuar juntos.

Baixar arquivo
Política

Olinda Bolsonaro, mãe do presidente da República, morre aos 94 anos

Após a morte da mãe, na madrugada desta sexta-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro (PL) cancelou compromissos em viagem à Guiana – país que faz fronteira com a região Norte do Brasil – e retornou ao país.

Baixar arquivo
Geral

Covid: Na Bahia servidores são afastados por não comprovarem vacinação

O governo da Bahia publicou no Diário Oficial as portarias que orientam o afastamento temporário de 283 servidores de 13 órgãos e secretarias do estado, por não comprovarem a vacinação contra a covid-19.

Baixar arquivo