Meninas devem acreditar em seus sonhos para vencer na ciência

Recado é de astrofísico da UFRGS e vem na semana de um Nobel feminino

Publicado em 09/10/2020 - 14:12 Por Adrielen Alves - Brasília

Às vésperas do Dia Internacional da Menina – celebrado em 11 de outubro – e em uma semana em que as mulheres brilharam no Nobel de Física, Química e Literatura, o recado às brasileiras vem do escritor e professor do Instituto de Física, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Alan Alves.

Sonora: “Acreditem nos seus sonhos e não negociem os sonhos de vocês. Eu acho muito importante fortalecer a autoestima, acreditar que são capazes, construir o sonho de vocês, olhando em volta, coletivamente, com as pessoas que estão próximas para proteger, como professores. Acreditem na escola, na escola pública, sobretudo. E sonhem. Lembrem que antes de vocês, outras pessoas vieram e vocês não estão sozinhas.”

Inspirado em garotas que amam a ciência, ele criou a personagem Antonia. Uma menina negra, com altas habilidades, que estuda em escola pública e é apaixonada por astronomia.

A história virou o livro ''Antonia e a Caça ao Tesouro Cósmico'', escrito a partir de experiências pessoais de Allan, mas com intenção de inspirar meninas Brasil afora.

Sonora: “Costumo dizer que é autobiográfico, fui um menino negro e não me via representado nos livros de ciência. Às ciências exatas ainda falta muito esta diversidade. Eu quis trazer uma menina negra, do interior da Bahia, que tem sotaque e fala 'oxente', com altas habilidades, inteligente, que faz perguntas incríveis sobre o como o universo se formou, o que acontece com as estrelas. Tinha desde o início a preocupação de trazer esta representatividade negra que falta nas carreiras científicas.”

Além de trazer a representatividade negra às carreiras científicas e destacar como transformador o ambiente escolar, o pesquisador toca em um ponto que Andrea Ghez, Emannuelle Charpentier e Jennifer Doudna reforçaram ao comemorar o Nobel de Física e Química, respectivamente.

Mulheres na ciência são espelhos para as meninas que hoje ainda estão em idade escolar.

Mas, para igualdade de gênero em áreas científicas e, mais especificamente, em profissões ligadas ao espaço, a caminhada é longa, segundo a ONU.

De acordo com a Unoosa – Escritório das Nações Unidas para o Espaço Exterior – a representatividade das mulheres em áreas ligadas à astronomia é de 20%, enquanto os homens são 80% desta força de trabalho.

No Brasil, projetos como o Meninas no Museu de Astronomia e Ciências Afins, em parceria com o Observatório Nacional, buscam ampliar a participação feminina em atividades de pré-iniciação científica, realização de pesquisas e divulgação, informa uma das coordenadoras do projeto, Cláudia Matos.

Selecionada no projeto, Yasmin Batista conta que sempre teve habilidade com experimentos em sala de aula e que foi fundamental ter uma escola com estrutura para iniciações científicas. Mesmo sem acreditar que seria possível, ela participou do processo seletivo.

Sonora: “Eu achei que não ia conseguir, mas fiz a seleção de toda forma. Eu fui chamada e fui muito feliz. Encontrei no projeto uma família e desenvolvi bastante”, diz.

Foi a partir do Meninas no MAST que Mylena Larrubia decidiu entrar para a graduação em Astronomia, em 2017, na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Ela conta que assim como Antonia, personagem do livro, o gosto pela astronomia veio desde criança. E que além da afinidade com matemática e ciências, na família que ela encontrou o principal apoio.

Sonora: “Eu fui criada livre para escolher o que eu queria. Eu comecei a faculdade logo após o Meninas no Museu, então eu estava com muito incentivo e acho que depois que entrei na faculdade, continuou de todas as partes.O que considero muita sorte, um privilégio”.

Edição: Lana Cristina

Últimas notícias
Saúde

Dezembro laranja alerta para a prevenção ao câncer de pele

O câncer de pele é o tipo de câncer que mais atinge as pessoas em todo o mundo. Ele pode ser detectado por meio de um autoexame. Basta prestar atenção em pintas que cresceram, manchas que aumentaram, sinais que se modificam ou feridas que não cicatrizam.

Baixar arquivo
Economia

Decreto regulamenta o Auxílio Gás; saiba quem pode receber o benefício

Pagamento vai ser feito a cada dois meses, e cada família vai receber metade do valor do preço nacional do botijão de 13 quilos. Esse valor é o da média do preço do gás nos últimos seis meses.

Baixar arquivo
Saúde

Brasil já tem 5 casos confirmados da variante Ômicron

Dos casos confirmados aqui no país, três são em São Paulo e dois no Distrito Federal. São quatro homens e uma mulher.

Baixar arquivo
Saúde

Fiocruz vê tendência de alta de casos de síndrome respiratória grave

Crescimento está sendo notado em 13 das 27 unidades da federação; destes, os que mais chamam a atenção dos especialistas são Pará, Ceará e Rio de Janeiro.

Baixar arquivo
Política

PEC dos Precatórios é aprovada no Senado

Os precatórios são dívidas da União com empresas e pessoas que ganharam ações definitivas na justiça. A proposta aprovada pelo Senado limita o valor a ser gasto anualmente com essas despesas e muda a forma de cálculo do teto de gastos. Proposta ainda precisa voltar à Câmara.

Baixar arquivo
Educação

Prazo para solicitar a reaplicação da prova do Enem termina amanhã

Candidatos podem pedir a reaplicação até às 23h59 desta sexta; os nomes dos participantes aptos a fazerem a prova em nova data serão divulgados na própria Página do Participante.

Baixar arquivo