Oposição pressiona e relator restringe porte de armas aos Cacs; governo quer ampliar categorias

Porte de armas

Publicado em 05/11/2019 - 23:24 Por Kariane Costa - Brasília

Após muita negociação, os deputados aprovaram projeto de lei que regulamenta o porte e a posse de armas para atiradores, caçadores e colecionadores, os Cacs.

 

A proposta enviada pelo governo ao Congresso estava na pauta há várias semanas, mas não havia acordo para o texto ser votado.

 

Nesta terça-feira (5), a oposição mais uma vez usou a obstrução para pressionar mudanças no relatório do deputado Alexandre Leite, do DEM-SP.

 

O relator acabou cedendo e retirou do texto qualquer autorização a outras categorias. Além de outros pontos, foi barrado o porte de armas para guardas municipais, agentes da Abin e agentes de trânsito.

 

O líder do Governo na Casa, deputado Victor Hugo, lamentou as categorias que ficaram de fora.

 

Entre outros pontos, o texto regulamenta a compra de armas por parte de agentes. O relator também condicionou a compra de até dez armas por policiais e militares para a prática desportiva de tiro.

 

Leite também prevê que o registro de armas por parte de caçadores não acarretará automaticamente em licença para a prática da atividade de caça.

 

Mesmo com o texto mais enxuto, a oposição foi contrária à proposta, como o deputado Marcelo Freixo, do PSOL fluminense.

 

Segundo o acordo, nesta quarta-feira (6), o governo vai enviar um projeto de lei, com urgência constitucional, incluindo mais categorias profissionais que possam ter porte de arma.

 

Como a urgência constitucional tranca a pauta da Câmara após 45 dias, o presidente da Casa, Rodrigo Maia, afirmou que vai pautar a matéria no plenário, quando isso acontecer.

 

Apenas um destaque foi aprovado, para evitar que pessoas se afiliem a clubes de tiro, apenas com o objetivo de ter o porte de arma. O texto prevê que, para atiradores profissionais requererem o acesso ao porte de armas, é obrigatório cinco anos de filiação ao clube de tiro esportivo, e que também tenha pelo menos uma arma já registrada.

 

* Áudio substituído às 12h05 de 06.11.2019 para inclusão da sonora correta, relativa à fala do deputado do PSOL Marcelo Freixo.

Últimas notícias
Economia

Plano Safra 2022/2023 anuncia R$ 340,8 bilhões para a agropecuária

Do total disponibilizado ao Plano Safra, R$ 246 bilhões vão ser destinados ao custeio e comercialização da atividade agrícola. Os R$ 94 bilhões restantes serão para investimentos no setor.

Baixar arquivo
Política

Presidente da Caixa pede demissão após denúncias de assédio sexual

Na carta de demissão encaminhada ao presidente Jair Bolsonaro, Guimarães negou as acusações e alegou que desde que assumiu a presidência da Caixa sempre combateu toda forma de assédio.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Procurador que espancou a chefe em cidade paulista vira réu

Demetrius Oliveira de Macedo foi filmado dando socos e chutes em Gabriela de Barros no local de trabalho. As agressões só pararam quando ela já estava desacordada no chão e foi arrastada pelas colegas para outra sala.

Baixar arquivo
Geral

Greve de ônibus em São Paulo termina após determinação da Justiça

A prefeitura de São Paulo deve decidir se aumenta o valor dos subsídios pagos às empresas de ônibus para compensar os custos maiores com o óleo-diesel e reajuste de salários, ou, se aumenta a tarifa do transporte público.

Baixar arquivo
Política

TCU aprova contas do governo federal de 2021 com ressalvas

Dentre os problemas apontados estão: o desvio de finalidades na aplicação de recursos da Seguridade Social; e a aplicação abaixo do previsto em projetos de irrigação na região Centro-Oeste.

Baixar arquivo
Geral

Entenda como funciona o golpe com criptomoedas chamado de "rug pull"

Um novo golpe está tirando o sono de quem investe em criptomoedas. É o chamado “rug pull”, expressão que, em inglês, significa “puxada de tapete”.
 

Baixar arquivo