Agenda da semana tem CPI da Covid-19 e nova Lei da Segurança Nacional

Senado deve discutir auxílio a restaurantes, bares e lanchonetes

Publicado em 11/04/2021 - 14:43 Por Lucas Pordeus León - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

A CPI da Covid-19, um projeto para revogar decretos presidenciais que ampliaram o acesso a armas e munições, e uma proposta para substituir a atual Lei de Segurança Nacional estão entre os temas desta semana no Congresso.

Apesar de defender que este não é o momento adequado para se instalar a CPI da Covid-19, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse que vai cumprir a decisão liminar do ministro Luís Roberto Barroso e determinar a criação da CPI nesta terça-feira (13).

A CPI pretende investigar as ações do governo federal na pandemia, em especial no caso da falta de oxigênio em Manaus. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, marcou para esta quarta-feira (14) o julgamento para analisar a liminar de Barroso determinando a instalação da Comissão.

Ainda no Senado Federal, está na pauta desta semana um projeto de decreto legislativo que revoga os decretos presidenciais deste ano que ampliaram o acesso a armas e munições. Os senadores também devem apreciar um projeto que cria um programa de auxílio aos restaurantes, bares e lanchonetes devido ao impacto causado pela pandemia. A proposta cria auxílio no valor de R$ 2 mil mensais; suspensão dos tributos federais e posterior renegociação das dívidas.

Já na Câmara dos Deputados a pauta ainda não foi definida para esta semana. Contudo, o presidente da Casa, o deputado Arthur Lira, manifestou o interesse de pautar o requerimento de urgência para votação do projeto da Lei de Defesa do Estado Democrático de Direito para substituir a atual Lei de Segurança Nacional.

Entre os projetos que também podem entrar na pauta de votações da Câmara nesta semana estão o que prorroga, por três meses, o prazo para declaração do Imposto de Renda; o que dispensa licitação para compra de medicamentos necessários para o enfrentamento à covid-19; e outro que permite a utilização temporária dos leitos vagos nos Hospitais das Forças Armadas pela população civil.

Edição: Nádia Faggiani/ Renata Batista

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

Bruno Covas, prefeito de São Paulo, morre aos 41 anos

Bruno Covas descobriu o câncer em outubro de 2019. O quadro exigiu várias sessões de quimioterapia em um tratamento que seguiu até o começo de 2020. Em abril deste ano, exames constataram que a doença havia se espalhado para o fígado e os ossos.

Baixar arquivo
Geral

Governo restringe entrada de estrangeiros vindos da Índia

Após recomendação da Anvisa, o governo federal proibiu temporariamente a entrada no país de passageiros estrangeiros de voos com origem ou passagem pela Índia, pelo Reino Unido, pela Irlanda do Norte e pela África do Sul.

Baixar arquivo
Geral

Quadro de saúde de Bruno Covas é irreversível, segundo boletim médico

Covas soube que estava com câncer entre o esôfago e o estômago em 2019. Internado desde 02 de maio no hospital Sírio-Libanês, ele está sedado e acompanhado de familiares.

Baixar arquivo
Saúde

Município de Botucatu realiza vacinação em massa

A iniciativa consiste em estudo da vacina produzida pelo laboratório Astrazeneca; e é resultado de parceria entre a Prefeitura, Governo Federal, Unesp, Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu e Fundação Gates.

Baixar arquivo
Saúde

Rio de Janeiro tem melhora no risco da pandemia

A região norte saiu da bandeira laranja e passou para a amarela, risco baixo; e a região litorânea foi da laranja para a vermelha. Com as mudanças o estado fica na bandeira laranja, que indica risco moderado.

Baixar arquivo
Política

Corpo de Picciani é cremado em cerimônia no Rio de Janeiro

Jorge Picciani morreu aos 66 anos, na madrugada dessa sexta-feira, no hospital Vila Nova Star, em  São Paulo, onde estava internado desde o dia 8 de abril, para tratar de um câncer na bexiga.

Baixar arquivo