STF retoma julgamento de ações que questionam “sobras eleitorais”

Publicado em 21/02/2024 - 21:13 Por Gésio Passos - repórter da Rádio Nacional - Brasília

O STF retomou nesta quarta-feira (21) o julgamento de ações que questionam as chamadas sobras eleitorais. São vagas para o poder legislativo que não foram preenchidas pelos critérios do sistema proporcional. A depender da decisão do Supremo, sete deputados federais podem perder o mandato.

A decisão não implica em mudanças nas assembleias estaduais, mas pode interferir nas regras para eleição de vereadores este ano.

O ministro André Mendonça abriu divergência nos votos dados pelo relator, o ex-ministro Ricardo Lewandowski, que considerou que todos os partidos e candidatos deveriam disputar as vagas da “sobra”, independente de alcançar votos mínimos do quociente eleitoral. Alexandre de Morais e Gilmar Mendes seguiram o relator.

André Mendonça considerou constitucional a decisão do Congresso, que privilegia o sistema proporcional e os partidos políticos.

Já o ministro Alexandre de Moraes reforçou que considera que a lei afeta diretamente a pluralidade democrática.

O ministro Edson Fachin, antecipou seu voto e disse que a mudança do Congresso também é constitucional.

O ministro Cássio Nunes pediu vista para o tema, que pode voltar a pauta nas próximas semanas, já que o TSE deve definir as regras das eleições deste ano no começo de março.

Em 2021, o Congresso modificou as regras de como seriam distribuídas as vagas dos partidos que não atingiram o quociente eleitoral, que é o número do total de votos válidos divido pelo número de vagas para o parlamento.

Para as eleições de deputados e vereadores, essas vagas de sobras passaram a exigir que o candidato, para disputar essa vagas conhecidas como sobras, precisa ter no mínimo 20% do quociente eleitoral, além do seu partido ter que atingir, ao menos, 80% do mesmo quociente. Vários partidos questionaram a medida, o que fez o tema parar no Supremo Tribunal Federal.

Edição: Jacson Segundo / Fran de Paula

Últimas notícias
Internacional

Presidente de Portugal reconhece culpa pela escravidão no Brasil

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu que seu país tem responsabilidade pelos crimes da era colonial, como tráfico de pessoas na África, massacres de indígenas e saques de bens.

Baixar arquivo
Geral

Preso, Chiquinho Brazão fala no Conselho de Ética da Câmara por vídeo

Brazão, acusado de ser um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco, está preso há um mês e é alvo de pedido de cassação apresentado pelo PSOL.

Baixar arquivo
Segurança

CCJ da Câmara aprova lei que permite aos estados decidirem sobre armas

Pelo projeto de lei, os estados poderiam decidir sobre a posse e o porte de armas. Parlamentares favoráveis à proposta acreditam que diferenças estaduais precisam ser respeitadas. Já os contrários, afirmam que regras sobre armas devem ser definidas por uma lei nacional. Base do governo aponta inconstitucionalidade da medida.

Baixar arquivo
Esportes

Libertadores: Flamengo e Palmeiras terão duelo contra altitude

Nesta quarta-feira (24), Flamengo vai a La Paz, na Bolívia, para enfrentar o Bolívar. E Palmeiras vai a Quito, no Equador, para encarar Independiente del Valle. 

Baixar arquivo
Cultura

Carnaval: maior festa popular agora é manifestação cultural nacional

“É colocar o carnaval do lugar de direito dele”, afirma Rita Fernandes, presidente da Sebastiana, associação de blocos de rua do Rio de Janeiro. Para ela, a lei significa mais incentivos e mais investimentos em torno da folia que leva milhões às ruas brasileiras.   

Baixar arquivo
Saúde

Brasil registra mais de 3 mil mortes por covid-19 em 2024

Infectologista fala da necessidade de se manter o reforço da vacinação em dia para evitar que as pessoas se tornem agentes de contaminação para pessoas do grupo de risco. 

Baixar arquivo