Sancionada lei que trata de compras e contratações de serviços relacionados à Saúde Pública

Pandemia da Covid-19

Publicado em 12/08/2020 - 13:15 Por Anna Luisa Praser - Brasília

O presidente Jair Bolsonaro sancionou com vetos o projeto de lei de conversão que dá mais agilidade à compra de bens e materiais e a contração de serviços relacionados à Saúde Pública, principalmente para atender a crise sanitária causada pelo novo coronavírus e que já matou mais de 103 mil pessoas no país. O texto altera uma outra lei de 6 de fevereiro deste ano.

 

Entre os dispositivos retirados do texto está a isenção de IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados e as contribuições do PIS/PASEP e Confins sobre a industrialização, operação de vendas e prestação de serviços.

 

A Secretaria-Geral da Presidência da República justificou que essa renúncia geraria um impacto financeiro e orçamentário não previsto, além de contrariar norma da Constituição Federal que determina que não pode haver previsão de isenções de forma genérica, a insumos necessários para combater emergências de saúde pública.

 

Outro veto assinado pelo presidente foi o que determinava que o Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde, ficaria responsável por emitir documento de classificação das mercadorias, produtos e serviços que eventualmente receberiam isenção de impostos.

 

Ainda de acordo com a Secretaria, a proposta repassa a outro órgão uma competência que seria do presidente da República, além de atribuir ao Ministério um tema que deveria ser tratado pela Receita Federal.

 

Agora, o Congresso deverá decidir se mantém ou não os vetos.

 

Com a medida, publicada na edição desta quarta-feira (12) do Diário Oficial, será de responsabilidade dos Estados determinar como será feito o abastecimento de produtos, bens, serviços públicos e atividades essenciais da área de Saúde. Além disso, os prazos para licitações, nas modalidades pregão eletrônico ou presencial para contratos de saúde destinados ao combate da crise sanitária, serão reduzidos pela metade.

 

O Diário Oficial desta quarta-feira ainda traz outras alterações a essa lei. Para conter o avanço do vírus, as autoridades poderão restringir a entrada e saída do país e a circulação interestadual e intermunicipal, seja por via terrestre, aérea ou marítima, desde que recomendadas pela Anvisa ou pelos órgãos locais de controle sanitário, quando se tratar de deslocamento entre municípios.

Últimas notícias
Geral

Holanda detecta 61 casos de Covid entre passageiros da África do Sul

Dois voos provenientes da África do Sul desembarcaram na Holanda com 61 passageiros contaminados pelo coronavírus. A suspeita é que eles estejam com a nova cepa, denominada Ômicron e com provável origem no país africano.

Baixar arquivo
Economia

Dieese: cerca de 83 milhões de brasileiros aguardam o pagamento do 13º

O mês de novembro está chegando ao fim e, com ele, a expectativa do trabalhador com carteira assinada de receber a primeira parcela do 13º salário. Isso por que o prazo de pagamento das empresas se encerra na próxima terça-feira, dia 30 de novembro. 

Baixar arquivo
Geral

Brasil fechará fronteiras aéreas para seis países da África

Para conter a nova variante do coronavírus, o Brasil anunciou o fechamento das fronteiras aéreas com seis países da África. A informação foi confirmada pelo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Baixar arquivo
Esportes

Flamengo e Palmeiras decidem a Copa Libertadores da América

A Rádio Nacional transmite Flamengo e Palmeiras para todo território brasileiro a partir das 17h. 

Baixar arquivo
Saúde

Boletim revela queda nos indicadores de transmissão da covid-19

O Observatório Covid-19 da Fiocruz indica também redução do número de casos registrados e de óbitos no país. Ainda assim, especialistas defendem medidas de prevenção, como a exigência de vacinação para entrada no Brasil, o uso de passaporte de vacinas em locais públicos e a testagem de viajantes no país.

Baixar arquivo
Saúde

Nova variante da Covid chega a Bélgica e preocupa Europa

De acordo com o Ministério da Saúde belga, trata-se de alguém que veio do exterior não vacinado e que testou positivo no dia 22 de novembro

Baixar arquivo