Criança com AME recebe recursos para remédio mais caro do mundo

Publicado em 21/10/2020 - 22:16 Por Graziele Bezerra - Brasília

A família da menina Kyara Lis recebeu os recursos para a aquisição do Zolgensma, o medicamento mais caro do mundo utilizado para o tratamento da Atrofia Muscular Espinhal (AME). O recurso foi obtido após a família do Distrito Federal entrar com ação na Justiça e ter decisão favorável do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O processo foi ajuizado uma vez que o remédio não possuía registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A ação foi apresentada em julho. Em agosto, a Anvisa autorizou o registro do medicamento.

“Fizemos solicitação administrativa ao Ministério da Saúde para que a medicação fosse fornecida, e diante da omissão na resposta, tivemos que ajuizar este mandado de segurança a fim que ela pudesse receber”, explicou a advogada da família, Daniela Tambini.

A decisão do STJ obrigou que o Ministério da Saúde complementasse o valor do remédio, de cerca de R$ 12 milhões. Isso porque a família havia iniciado uma campanha de doações que conseguiu arrecadar pouco mais de R$ 5 milhões. O recurso caiu na conta hoje pela manhã. Com isso a família poderá fazer a importação do remédio, fabricado por um laboratório estrangeiro.

De acordo com a advogada, o remédio deverá ser aplicado no início de novembro. A menina será levada a Curitiba, onde o procedimento deve ocorrer no hospital Pequeno Príncipe. A escolha se deu pelo fato da instituição ter experiência com este tipo de tratamento.

Kyara tem 1 ano e 2 meses. Ela foi diagnosticada aos oito meses com AME, uma doença degenerativa que pode matar ao gerar dificuldades na atividade muscular que podem comprometer a capacidade de deglutir ou até mesmo de respirar.

O Zolgensma é o único remédio que de fato atua no combate à AME. Há outras substâncias, mas que apenas mitigam os sintomas. Kyara toma um destes, Spinraza. A família também teve que entrar na Justiça para obter o tratamento, desta vez com o plano de saúde.

*com informações da Agência Brasil

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Saúde

Variante brasileira da covid-19 predomina no Rio de Janeiro

A conclusão é de um estudo da Secretaria de Estado de Saúde. Nos dados analisados, a linhagem P1, que teve maior frequência, foi identificada em 94,44% das amostras, e em todas as regiões do estado.

Baixar arquivo
Esportes

Maracanã recebe Fluminense e River Plate pela Libertadores da América

Depois de oito anos, o Fluminense está de volta à Libertadores da América e em busca de um campeonato inédito na galeria de troféus das Laranjeiras. A caminhada do Fluminense começa nesta quinta, contra o River Plate, às sete da noite, no Maracanã.

Baixar arquivo
Educação

Mais uma fase da retomada de aulas presenciais começa no Rio

A nova fase do ensino presencial envolve alunos do 3º ao 6º ano, assim como as turmas iniciais, contemplando todo o Ensino Fundamental I. As crianças da pré-escola, primeira e segunda séries já estão comparecendo às aulas desde fevereiro.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Escritório Virtual Social já está disponível em plataformas digitais

O aplicativo Escritório Virtual Social, lançado nessa terça-feira (20) pelo Conselho Nacional de Justiça, pretende auxiliar os egressos do sistema prisional a serem reinseridos na sociedade.

Baixar arquivo
Geral

Covid-19: monitoramento de esgotos ajuda a mapear pandemia no Brasil

Realizada desde abril do ano passado, em Belo Horizonte, a iniciativa foi estendida para Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro.

Baixar arquivo
Saúde

Tumulto vacinação: Duque de Caxias pode ser alvo de nova ação judicial

A Prefeitura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, pode ser novamente acionada pela Justiça por causa da sua tumultuada campanha de vacinação contra a covid-19.

Baixar arquivo