Últimas notícias Cemitérios

Homens com máscara e roupa de proteção transportam caixão para cemitério em Bergamo
Geral

Sindicato diz que há risco de falta de itens de proteção em cemitérios

Trabalhadores dos cemitérios da capital paulista afirmam que mais da metade dos 48 enterros realizados ontem, no Cemitério da Vila Formosa, tinha confirmação ou suspeita de covid-19.
Cemitério São João Batista em Botafogo, zona sul do Rio
Saúde

Medidas de combate ao coronavírus afetam rotina de cemitérios no Rio

Em caso de morte por covid-19, caixões devem ser lacrados e velório ocorrer a céu aberto. Técnicos de segurança do trabalho fizeram treinamentos com empregados de todos os cemitérios da cidade.
Geral

Cemitérios de São Paulo devem receber 1 milhão de visitantes

Um milhão de visitantes são esperados durante todo o dia de hoje - feriado de Finados - nos cemitérios da capital paulista, segundo a prefeitura. Um esquema especial de ônibus foi montado para atender as regiões dos cemitérios.

Brasília - Movimentação no Cemitério Campo da Esperança no dia de Finados (Wilson Dias/Agência Brasil)
Geral

Cemitérios do Distrito Federal devem receber 800 mil pessoas

Nem a previsão de chuva para esta manhã no Distrito Federal desanimou o brasiliense, que saiu de casa cedo para prestar homenagens aos parentes mortos, no Dia de Finados. Segundo estimativas da Polícia Militar do Distrito Federal, até o meio dia mais de 75 mil pessoas estiveram no Cemitério Campo da Esperança, maior do capital do país. Até o final do dia, a expectativa é de que aproximadamente 250 mil pessoas passem pelo local e 800 mil visitem os seis cemitérios do DF.

Geral

Vítimas da ditadura são homenageadas com placas em cemitério de São Paulo

O Cemitério Municipal de Campo Grande, na zona sul da capital paulista, recebeu hoje (18) uma placa em memória de três vítimas da ditadura militar, mortas por agentes do Estado, e que ali foram sepultadas. A instalação da placa atende uma recomendação das comissões da Verdade Nacional e Municipal de São Paulo, que recomendaram a criação de marcos de memória relacionados às violações de direitos na época da ditadura. A placa homenageou Emmanuel Bezerra dos Santos e Manoel Lisboa de Moura, militantes do Partido Comunista Revolucionário (PCR), que morreram no dia 4 de setembro de 1973, após serem torturados no DOI-Codi em São Paulo. Além deles, a placa também traz o nome de Santo Dias da Silva, um operário metalúrgico que foi assassinado por um agente do Estado quando tinha 37 anos, durante um piquete na frente da fábrica onde trabalhava.