Secretário de Segurança de SP tem 72 horas para explicar ação da PM no CPS

Publicado em 02/05/2016 - 22:44 Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil - São Paulo

São Paulo - Polícia Militar entrou no Centro Paula Souza, ocupado por estudantes desde a última quinta-feira (28). A Justiça concedeu liminar para reintegração de posse do prédio (Rovena Rosa/Agência Brasil)

A Polícia Militar (PM) entrou hoje, por volta de 11h30, no prédio do Centro Paula Souza (CPS), ocupado por estudantes desde a última quinta-feiraRovena Rosa/Agência Brasil

O secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, Alexandre de Moraes, tem o prazo de 72 horas, segundo decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), para esclarecer “se foi o responsável por 'adiantar' o cumprimento da ordem judicial com a determinação de ingresso da Polícia Militar no imóvel [prédio do Centro Paula Souza] sem mandado judicial”.

A Polícia Militar (PM) entrou hoje (2), por volta de 11h30, no prédio do Centro Paula Souza (CPS), ocupado por estudantes desde a última quinta-feira (28), e permaneceu lá durante toda a tarde, ação considerada ilegal pelo TJ-SP. Os estudantes protestam contra a falta de merenda e denúncias de corrupção nos contratos de alimentação escolar. O CPS é o órgão responsável por administrar o ensino técnico em São Paulo.

Os policiais da chamada “tropa do braço”, usada em manifestações, só deixou o local às 19h45, pela porta dos fundos, após negociação entre o comandante da operação, representantes dos estudantes e membros do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe).

Liminar

Ontem (1º) a Justiça de São Paulo concedeu liminar determinando reintegração de posse do prédio do Centro Paula Souza, localizado no bairro da Luz, região central da cidade. Apesar disso, a decisão de hoje, assinada pelo juiz Luis Manuel Fonseca Pires, da Central de Mandados das Varas da Fazenda Pública e Acidentes do Trabalho da Comarca da capital, disse que “não houve mandado judicial para o cumprimento da ordem [reintegração], pois este ato jurisdicional compete à Central de Mandados”.

“Sem mandado judicial, não há possibilidade de cumprimento de decisão alguma. Sem mandado judicial, qualquer ato de execução forçada caracteriza arbítrio, violência ao Estado Democrático, rompimento com a Constituição vigente e os seus fundamentos”, diz a decisão do juiz, que pediu ainda a “imediata suspensão de qualquer ato por parte da Segurança Pública do Estado de São Paulo com o fim de ingressar no imóvel”.

SSP-SP
Em nota, a Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) disse que a PM entrou no local “para acompanhar e garantir a segurança dos funcionários e professores que chegaram para trabalhar no prédio administrativo”. A pasta alega que “não houve cumprimento da reintegração de posse”.

Diversas figuras políticas estiveram no local, durante a tarde, reiterando a ilegalidade da ação da Secretaria de Segurança Pública, entre elas a deputada federal Luiza Erundina (PSOL-SP), o ex-senador Eduardo Suplicy (PT-SP) e o deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL-SP).

Reunião com vice-governador

São Paulo - PM entra em escola ocupada por estudantes desde a última quinta-feira (Rovena Rosa/Agência Brasil)

A Justiça e políticos condenaram a ação da polícia no CPSRovena Rosa/Agência Brasil

A deputada federal Luiza Erundina fez contato com o vice-governador Márcio França, que é também secretário da Ciência e Tecnologia, pasta ligada ao Centro Paula Souza, para tentar auxiliar na solução do conflito. Segundo ela, França se dispôs a receber uma comissão formada por estudantes para que levem suas demandas a ele.

“Eu acho que a saída é essa comissão ir ao vice-governador para levar diretamente a demanda. É uma demanda justa e simples, mas, da parte da direção daqui, eles acham que não há condições imediatas de atendimento ao que eles [estudantes] estão pleiteando”, disse Erundina. A deputada considerou a presença da polícia no prédio “abusiva, autoritária e arbitrária”, já que não havia mandado judicial.

O deputado estadual Carlos Gianazzi disse que a direção do CPS é muito autoritária e que não tem poder de negociação. “Há muitos anos não há gestão democrática, por isso que chegou nesse ponto, não há diálogo”, disse. Por isso, segundo ele, houve pedido de mediação ao vice-governador para que a questão seja resolvida, para que seja aberto o diálogo e para que as reivindicações sejam atendidas.

Ministro da Educação

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse hoje em entrevista coletiva na capital paulista que o ministério, em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU) e a Polícia Federal (PF), criou um grupo de inteligência para investigar fraudes na merenda. “Estamos investigando uma série de cidades e resultados vão aparecer. São investigações sigilosas, porque nós não vamos tolerar nenhuma fraude”.

Questionado sobre as ocupações de estudantes no estado de São Paulo, Mercadante disse que defende a liberdade de manifestação e que a recomendação “é buscar sempre o diálogo, de forma democrática, buscando construir saídas, que evitem a radicalização”.



PM entra em escola ocupada por estudantes em SP

Edição: Fábio Massalli

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Torcida cruzeirense, em partida Cruzeiro x Grêmio, décima oitava rodada do Brasileirão, em 08.09.2019
Esportes

Cruzeiro estreia na Série B neste sábado contra o Botafogo-SP

Raposa começa competição com seis pontos a menos que os demais clubes da segunda divisão Partida terá início às 19h (horário de Brasília), no Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Apostadores fazem fila em casa lotérica. A Caixa Econômica Federal sorteia hoje (08) as seis dezenas do concurso 2.149 da Mega-Sena acumulada, que deve pagar um prêmio de R$ 170 milhões.
Geral

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 6,5 milhões

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa em todo o país ou pela internet. O volante, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy apresenta o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito, Pnatrans.
Justiça

Gilmar Mendes determina soltura de Alexandre Baldy

Baldy teve a prisão temporária decretada pela primeira instância da Justiça Federal na Operação Dardanários, que apura fraudes em contratações da Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro.

Chuteiras de jogadores em treino
Esportes

Agência Brasil oferece novidade para amantes de esportes

Página tem tabelas das principais competições do planeta, de modalidades como futebol, surfe, automobilismo e e-sports. Vôlei e basquete devem entrar depois, com reinício de torneios.

Geral

Ilha Grande reabre para o turismo no próximo dia 14

Município fluminense só receberá turistas com reservas em hospedagens. Hotéis, pousadas e restaurantes podem ter até 50% da capacidade ocupada.

Fachada da Caixa Econômica Federal
Economia

Caixa abre 770 agências hoje para beneficiários do auxílio emergencial

A Caixa garantiu que todas as pessoas que comparecerem às agências serão atendidas no mesmo dia. A mesma orientação é válida para o atendimento realizado de segunda a sexta-feira.