Marco Civil é “referência mundial”, diz secretário do Ministério da Justiça

Publicado em 23/04/2014 - 18:22 Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil - Brasília

O secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça, Marivaldo Pereira, disse que o Marco Civil da Internet, sancionado hoje (23) pela presidenta Dilma Rousseff, tornou-se uma “referência mundial”.

“O Brasil é o primeiro país a disciplinar a internet com foco na liberdade de expressão. Hoje, passamos a ser referência mundial em regulamentação de internet. São inúmeras as autoridades internacionais curiosas para conhecer o modelo adotado”, disse Pereira.

O secretário participou do programa Brasil em Pauta, da TV NBR, respondendo a dúvidas sobre o tema. Ele enfatizou a importância da neutralidade da rede, que, de acordo com o governo, é um dos principais pontos da nova legislação. “A neutralidade garante que a empresa responsável pela conexão não diferencie o tráfego de velocidade entre um site e outro”, explicou.

Segundo Pereira, a medida evita que os provedores de internet direcionem o acesso do usuário, tornando-o mais rápido para a um site parceiro ou mais lento para outro. “O marco civil evita que o acesso da internet seja vinculado a questões políticas ou econômicas, talvez uma das maiores conquistas do projeto.”

De acordo com Pereira, a fiscalização do tráfego de dados será feita pelos órgãos reguladores – um decreto ainda será publicado regulamentando questões técnicas sobre tráfego de dados. “O vídeo, por exemplo, tem dois tipos de dados, de imagem e som. Para que ambos cheguem ao mesmo tempo, a imagem precisa de prioridade no tráfego por ser um arquivo mais pesado. Este é um exemplo de questões que justificariam a discriminação do tráfego de dados.”

O secretário esclareceu ainda que alguns dos principais pontos do marco civil, como a neutralidade da rede, o direito à proteção à privacidade e à intimidade, já estão em vigor. Além disso, os usuários de serviços de internet têm amparo no marco civil no que diz respeito a informações claras sobre o que estão contratando.

“Quando um cidadão assinar o termo de uso de um serviço, deve aparecer destacado o que será feito com seus dados. Além disso, todos os dados do usuário estarão protegidos pela lei brasileira. Os dados sobre o que o cidadão fez na rede, dentre outros, só poderão ser acessado após decisão judicial”, disse Pereira.

Info_MarcoCivil

Edição: Nádia Franco

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
basquete em cadeira de rodas, seleção brasileira, Rio 2026
Esportes

Coluna - Justo ou injusto?

Reclassificação no basquete tira atletas do movimento paralímpico. Dos 132 reenquadrados, 119 foram considerados aptos a competir em Tóquio, e nove inelegíveis.

Ensino a distância cresce mais que presencial
Educação

MEC autoriza aulas a distância em escolas técnicas federais de ensino

Instituições que optarem por suspender aulas presenciais deverão repô-las integralmente e poderão alterar calendários escolares, inclusive recessos e férias.

A Polícia Federal prende o banqueiro Eduardo Plass em nova etapa da Operação Hashtag, desbodramento da Lava Jato no Rio de Janeiro.
Geral

Polícia Federal faz operação contra fraudes nos Correios

Cargas eram distribuídas no fluxo postal sem faturamento ou com faturamento inferior, dando prejuízo de R$ 94 milhões aos Correios. Foram expedidos mandados de afastamento de funcionários.

Governo de São Paulo inicia testes com vacina contra o novo coronavírus.
Saúde

São Paulo usa Metrô para vacinar adultos e crianças 

Não é necessário apresentar carteirinha de vacinação. Em todas as estações do Metrô de São Paulo, a campanha estará na área livre do mezanino. Vacinas evitam diversas doenças.

O ministro Gilmar Mendes, durante a segunda parte da sessão de hoje (23) para julgamento sobre a validade da prisão em segunda instância do Supremo Tribunal Federal (STF).
Justiça

Gilmar Mendes suspende efeitos de veto sobre uso máscara em presídios

A decisão suspende “apenas os efeitos dos vetos feitos por meio de republicação, após o prazo de 15 dias para o exercício da deliberação executiva sobre o projeto de lei”, diz STF.

Cataratas do Iguaçu em Foz do Iguaçu/PR
Geral

Parque Nacional do Iguaçu retoma atividades a partir de hoje

Entre as medidas obrigatórias para acessar a unidade de conservação estão a redução da capacidade do local, aferição da temperatura, o distanciamento entre as pessoas e uso correto da máscara.