Lula, Fernando Henrique e Sarney lamentam morte de Eduardo Campos

Publicado em 13/08/2014 - 16:53 Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil - São Paulo
Atualizado em 13/08/2014 - 17:44

Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique Cardoso e José Sarney lamentaram a morte do candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, em acidente aéreo na manhã de hoje (13) em Santos, no litoral paulista. Mais seis pessoas morreram no desastre.

Recife - Presidente Lula conversa com o ministro Eduardo Campos durante a assinatura de convênios entre o Ministério da Ciência e Tecnologia e a UFPE (Marcello Casal Jr./Arquivo Agência Brasil)

Eduardo Campos, ministro da Ciência e Tecnologia,

e o presidente Lula  Marcello Casal Jr/Arquivo ABr

“O país perde um homem público de rara e extraordinária qualidade. Tive a alegria de contar com sua inteligência e dedicação nos anos em que foi nosso ministro da Ciência e Tecnologia. Ao longo de toda sua vida, Eduardo lutou para tornar o Brasil um país mais justo e digno”, disse o ex-presidente Lula.

Em nota divulgada pelo Instituto Lula, o ex-presidente presta solidariedade às famílias da equipe de Campos e dos tripulantes que também morreram no acidente. “Neste momento de dor, eu e Marisa nos solidarizamos com sua mãe, Ana Arraes, sua esposa, Renata, seus filhos e toda a sua família, amigos e companheiros. Também prestamos solidariedade às famílias dos integrantes da sua equipe e dos tripulantes que falecerem nesse terrível acidente.”

Em sua conta no Facebook, Fernando Henrique Cardoso lamentou a morte de Eduardo Campos e solidarizou-se com os parentes dele e das demais vítimas do acidente. “Não há palavras que amenizem as perdas. Ainda assim, expresso minhas condolências, meus sentimentos de tristeza e de pesar."

Na mensagem, o ex-presidente ressalta que sempre manifestou respeito pelo ex-governador de Pernambuco e que quem sofre a maior perda é o país. "No momento em que precisamos de líderes jovens e competentes, perdemos um dos melhores. Sua carreira nacional apenas se iniciava. Fosse ou não eleito, seria um líder para a renovação política de que tanto necessitamos. É uma perda irreparável”, afirmou Fernando Henrique.

Em nota, o ex-presidente José Sarney disse que o país perdeu "uma de suas maiores esperanças políticas".
 

Brasília - O presidente do Senado, José Sarney, na saída de seu gabinete após reunião com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (Valter Campanato/Arquivo Agência Brasil)

O ex-presidente José Sarney, à época presidente do Senado,  e  o  então  governador  de  Pernambuco, Eduardo Campos   Valter Campanato/Agência Brasil

“A morte é um fenômeno transcendental. Supera todos os sentimentos. Deus é testemunha da minha emoção, do meu pesar e do quanto estou chocado com o falecimento de Eduardo Campos, a quem conheci ainda jovem, despontando como um grande talento. O Brasil perdeu uma de suas maiores esperanças políticas. Eduardo tinha um grande futuro e vivia um grande presente. Junto-me a sua família e ao povo brasileiro nesse sentimento de perda, e peço a Deus que nos console e nos ampare. O Brasil, o Nordeste e Pernambuco sentem o vazio que se abre – e que não será preenchido. É hora de invocar o símbolo que os romanos usavam: a coluna partida, quebrada, não completa sua beleza".

Eduardo Campos, que morreu aos 49 anos, governou Pernambuco de 2006 a 2014, foi ministro da Ciência e Tecnologia no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e deputado federal por Pernambuco, onde exerceu também mandato de deputado estadual.

Edição: Nádia Franco

Últimas notícias
Palácio do Supremo Tribunal Federal na Praça dos Três poderes em Brasília
Justiça

Ministra do STF libera execução das emendas do relator

A decisão foi tomada após o Congresso aprovar, na semana passada, resolução para cumprir parte da decisão de dar publicidade ao processo de destinação dos recursos.