Senado prepara projeto para incluir mais categorias no "coronavoucher"

Motorista de aplicativo e pescador sazonal entram na nova proposta

Publicado em 30/03/2020 - 16:57 Por Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil - Brasilia

O Senado vota hoje (30) à tarde o pagamento de um auxílio emergencial de três meses, no valor de R$ 600, destinado a trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa. Além desse projeto, que já vem sendo chamado de “coronavoucher”, existe outro ganhando forma no Senado.

A segunda proposta pretende incluir categorias profissionais que não entraram na primeira, como motoristas de aplicativo e pescadores sazonais, além das comunidades indígenas.

De acordo com o presidente em exercício do Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG), essas categorias não serão incluídas pelos senadores no projeto enviado pelo governo para evitar a volta dele à Câmara dos Deputados onde seria reanalisado. Dada a urgente necessidade de aprova ção, os senadores decidiram elaborar outro projeto.

“Percebem-se vários casos que, na visão de muitos, não foram acobertados nesse projeto e merecem ser. Como qualquer questão de mérito voltaria [à Câmara], adotou-se essa metodologia, que pareceu a todos a matéria mais adequada”, disse Anastasia, em entrevista coletiva, no início da tarde, após a reunião de líderes.

O novo projeto vai reunir as propostas de vários senadores e será relatado por Esperidião Amin (PP-SC).

O projeto a ser votado hoje garante o auxílio para trabalhadores informais (sem carteira assinada), pessoas sem assistência social e população que desistiu de procurar emprego. Uma nova reunião de líderes ocorrerá amanhã (31) para definir as pautas de votação das próximas sessões da semana. Ainda não há previsão de quando o projeto a ser relatado por Amin chegará ao plenário.

Edição: Nádia Franco

Últimas notícias
O presidente do TSE, Alexandre de Moraes, durante cerimônia de posse do diretor-geral da PF, na sede da corporação, em Brasília.
Justiça

AGU pede ao STF apuração de posts com divulgação de decisões de Moraes

O jornalista Michael Shellenberger divulgou na rede social X decisões sigilosas de Alexandre de Moraes. Para AGU, há suspeita de interferência no andamento dos processos e violação do sigilo dos documentos.