Operação em áreas da Amazônia Legal terá orçamento de R$ 60 milhões

Operação envolve um efetivo de 3,8 mil profissionais e 110 viaturas

Publicado em 11/05/2020 - 19:47 Por Heloisa Cristaldo - Repórter da Agência Brasil - Brasília
Atualizado em 11/05/2020 - 20:11

A Operação Verde Brasil 2 iniciada nesta segunda-feira (11) pelo governo federal para combater o desmatamento ilegal e focos de incêndio na Amazônia terá orçamento inicial de R$ 60 milhões. A operação é realizada após decretação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) na Amazônia Legal. 

A operação já está em curso e envolve um efetivo de 3,8 mil profissionais, 110 viaturas, 20 embarcações, 12 aeronaves e terá bases em Belém, Porto Velho e Cuiabá.

Segundo a Vice-Presidência da República, fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) já estão fazendo buscas e autuações nos locais, protegidos por forças federais que atuam na região com poder de polícia conferido pelo decreto de GLO.

“O papel do Ministério da Defesa é de coordenação e controle. Então, as Forças Armadas não estão substituindo nem o Ibama, nem o ICMBio, nem a Funai [Fundação Nacional do Índio]. Até porque elas não são especializadas nesse tipo de atividade, muito pelo contrário”, afirmou o vice-presidente, Hamilton Mourão, em entrevista coletiva. “A capilaridade das Forças Armadas permite estabelecimento de bases no terreno, que facilitem o trabalho de fiscalização e, principalmente, que garantam a segurança e a proteção dos agentes do Ibama, ICMBio, Funai que estão realizando esse tipo de atividade”, explicou.

As operações foram planejadas tendo por base relatórios da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), órgão central do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin) e imagens geradas pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Desmatamento

De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o número de alertas de desmatamento na Amazônia Legal foi maior nos primeiros meses de 2020, em relação ao ano passado. Em março, por exemplo, as áreas em alerta caíram de 251,42 km² em 2019 para 326,49 km² no mesmo mês deste ano.

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno ressaltou que diante da dimensão da Amazônia Legal é necessário otimizar recursos para assegurar a fiscalização na região.

Operação Verde Brasil
Desmatamento em Marabá - Warley de Andrade/TV Brasil

“A Amazônia Legal tem mais de 5 milhões de quilômetros quadrados. A Europa inteira cabe na Amazônia Legal. Tudo na Amazônia é grandioso. Um dos grandes problemas para a fiscalização da Amazônia são os meios de transporte. Quando se fala em presença na Amazônia, nós precisaríamos ter um gasto muito maior para ter uma presença efetiva na Amazônia inteira”, afirmou.

“O grande segredo da Amazônia é como otimizar recursos e meios diante de uma área gigantesca, onde há um vazio de presença humana, onde temos seríssimo problemas - não só de ambiente, mas problemas de ocupação do terreno, de atendimento de saúde, escolar, saneamento básico”, argumentou.

*matéria atualizada às 20h11 para acréscimo de informações

Edição: Bruna Saniele

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias